HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Um tributo aos amigos que partiram.



Um tributo aos amigos que partiram.

Tem dias que fico pensando, pensando e quem não fica? Risos. Mas só pensando em um assunto? Claro que não. Sempre penso em escotismo, em escoteiros, em lobinhos, em seniores, guias, pioneiros, em boy scout, em Sempre Alerta. Portanto são muitos assuntos não? Risos. Mas porque penso tanto? Acho que o tempo passa, as horas passam e costumamos esquecer fatos importantes em nossa vida Escoteira. Quem já viveu tanto no escotismo ainda acredita que viverá muito ainda pela frente. As horas passam, os dias passam, vêm os meses os anos, e quando assustamos os cabelos embranquecem muitos amigos estão chegando e outros partindo. Agora os passos ficaram trôpegos, a respiração já não é a mesma e porque não desistimos? Porque não procurar outro motivo para sentir o pulsar da vida?
Não sei. Acho que sei só não quero reconhecer que o escotismo foi tudo para mim assim como para milhares que como eu passaram e estão passando nas fileiras deliciosas de uma vida ao ar livre, dormindo sob as estrelas, molhando os pés na agua fria e escalando uma montanha em busca de novos horizontes. Mas chega uma hora que não podemos fazer mais isto. O corpo não ajuda. Não importa a mente, pois ela a cada dia mais amadurece. Tem dias que a gente fica olhando a parede como se ela fosse uma tela gigante, a nos mostrar num ritmo musical,  as alegrias que tivemos em pertencer a este formidável movimento.
Alí naquela tela aparece à primeira promessa, o primeiro grande uivo, vestir o uniforme frente a um espelho e sorrindo com cada peça colocada. Ver o chapéu ainda novo dando um toque aventureiro e sorrir. Ver a cores naquela tela, os acampamentos, cada um mais formidável que os outros. Ver os amigos que fomos colhendo pelo caminho, e o tempo vai passando, o filme é longo, tem historias alegres, tristes e a gente até pensa e acredita que não é um filme real, um sonho gostoso que nunca existiu. Mas a realidade está ali viva. A força de um movimento está encravada em um coração que sonhou com ele a vida inteira.
Nesta seara que colhemos, os amigos vem e se vão. Faz parte da história. Faz parte da vida. Nada é imutável. Foram milhares, mas só uns poucos tivemos noção do que eram, do que fizeram do que sentimos por eles e os instantes de convivência quando os perdemos. Tive alguns em que a coexistência foi mais próxima. Uma viagem juntos, almoços, acampamentos, noitadas, convivência familiar, enfim são fatos que marcam e quando passa o tempo e ficamos sabendo de sua partida dá um nó na garganta, vontade de voltar atrás e dizer, não podíamos ter nos separado. Devíamos estar juntos até hoje, mas quem pode prever o seu destino?
A gente sabe que a vida passa e nos passamos pela vida como quem colhe rosas e espinhos. Na maioria das vezes o jardim das flores cujas fragrâncias nos inebriaram uma época, agora são espinhos que nos machucam de leve como a dizer: O adeus da partida nem sempre tem  o aceno do lenço, a lágrima que cai de mansinho, o livro aberto contando coisas gostosas sobre nós não existe mais, pois o vento forte fechou as páginas da vida. Não adianta dizer que fazemos parte de uma multidão que vai e vem e que o crescimento individual faz parte do viver, morrer  e nascer de novo. Sabemos disto, mas uma saudade angustiante vem de mansinho a machucar nosso interior que reluta em aceitar os fatos que são reais e imutáveis.
Hoje partiu mais um. Há tempos não nos víamos. Acho que poucos restam daqueles próximos que dedicamos uma amizade sem par. À tela gigante na parede, mostra todos eles sorrindo, pois ainda guardo o melhor de cada um. Sei que as horas passam os meses e os anos. Um dia irei também e se merecer espero encontrar a cada deles e dizer: Aqui estou, tem escotismo aqui? Se não tem vamos fazer nossa Patrulha da Esperança, pois dedicamos uma vida ao movimento e temos este direito.
Sempre Alerta amigos de outrora que se foram Sempre Alerta. Que os ventos que estão soprando do norte, do sul, do leste e oeste, lhes tragam a chama deste fogo que está firme em nossos corações, pois a canção é clara, não é mais que um até logo, não é mais que um breve adeus!
Meu abraço "Chefe" Caetano e todos os que já partiram. Aguardem, em breve vamos renovar este Grupo Escoteiro aí de cima. Aguardem, pois quando chegar quero ser mais um de voces a lutar por este movimento tão querido por todos nós. Pois quem já foi Escoteiro nunca o deixará de ser.