HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Dizer SAPS é bonito prá xuxu!


Crônicas de um Velho Chefe Escoteiro.
Dizer SAPS é bonito prá xuxu!

                      Não adianta. Não gosto de dizer SAPS. Por dizer isto já me chamaram de tudo. Velho ranzinza, chato de galocha e o escambal, mas SAPS? Nunca vou escrever ou dizer. Você sabe quem foi o “çabio” quem começou esta história de SAPS? Eu não sei, mas lá pelos idos da década de setenta esta famigerada palavra teve início. Eu deduzi que era um tremendo de um preguiçoso, que não queria escrever SEMPRE ALERTA PARA SERVIR quem inventou. Como já estava se tornando festa usar siglas, lá veio ele com esta invenção como se ele fosse um grande “çabio” Escoteiro. A danada da palavra pegou. E O Pafúncio ficou na história com sua bela criação. Não é que não goste do tal de SAPS Afinal eu sei que sempre disse que SAPS É SAPS nada alem de SAPS. Sabe o que me lembra? Um monte de sapos na lagoa. Risos. Mas vamos lá, vamos ver o tal de SAPS que todos adoram:

                     Nos primórdios do escotismo dizíamos feliz - Sempre Alerta! Um belo dia um artista Escoteiro da liderança nacional criou o Servir para o pioneiro. Ótimo. Os pioneiros merecem. Mas esqueceram do Sênior. Eles ficaram na “rebarba” dos Escoteiros. Não se lembraram dos lobinhos. Os azulões meninos e meninas da Alcatéia de Seeonee como sempre ficaram perdidos na floresta encantada de Mowgly.  Pois é. O Pafúncio Escoteiro inventor juntou o Sempre Alerta como o Servir e espalhou para todo mundo. Bem, Se ele ainda não foi para a estrela de B-P deve estar por aí rindo do besteirol que fez. Até hoje a UEB gosta de dizer que devemos servir a ela. A soberana não se fez de rogada e colocou no final da promessa do voluntário a frase “Servir a União dos Escoteiros do Brasil”. Eu pensava que a associação devia me servir e não eu a ela. Jurar isto? Never! Nunca fiz este juramento.

                  O mundo Escoteiro brasileiro começou uma nova era. Agora era tudo moderno. Ninguem disse mais "Sempre alerta para Servir!", Claro isto cansa, é longo parece o hino Alerta que poucos sabem cantar, mas dizem SAPS com alegria e primor Escoteiro. Dizem ainda que falar tudo isto a língua doía, tinha gente que suava em bicas, outros engasgavam ao falar e dava um trabalhão danado para escrever. A boca entortava e isto precisava acabar. Então o Pafúncio “Çabio” dirigente gritou alto como se estivesse salvando o escotismo brasileiro: - SAPS! Bacana! Lindo de morrer. E o mundo Escoteiro vibrou. Agora sim chegaremos aos cem mil membros escoteiros brasileiros. O tal de SAPS seria a salvação. Em todos os grupos, em todas as reuniões em todas as escritas só si via a palavra SAPS. Era SAPS para todo lado. Uma SAPAIADA sem tamanho.

                    O Brasil Escoteiro vibrou. Dizem que membros políticos do governo deram todo apoio. Verba não. Verba só para os protegidos do partido. Como não temos partido vamos partir para as taxas, mensalidades e precinhos saltitantes da vestimenta escoteira. Sem esquecer a cobrança de tudo, pois eles gostam de dizer que não tem almoço grátis. Putz! Que fome! O tempo danado ajudou. Cada ano mais Chefe, mais dirigente, mais Sênior, mais guia e escoteiros gritavam por todo lado: SAPS! Soube que os meninos acordavam pela manhã nos acampamentos saindo da barraca e gritando aos quatro ventos SAPS! Era ver o Chefe e diziam: – Oi Chefe! SAPS para o Senhor! Na sede o tal SAPS virou um inferno. Na porta alguém chegava e berrava: - SAPS! Os chefes não querendo dizer a cada um diziam: SAPS para todo mundo! Os Lobinhos quando viam a Chefe na rua gritavam: - SAPS Akelá! O Bom de tudo é que os pequeninos não sabiam o que estavam dizendo. Quem sabe pensaram que era coisa do Mowgly.

                  Lembro-me de um programa na Rede Globo. O Chefe chegou e disse para o entrevistador: SAPS! O cara ficou baratinado. Que diabos é isto? Corta! Gritou.                    Mas deixe prá lá. Agora me responda como se eu fosse um menino de seis anos: Quando você diz ou lê SAPS, sua mente traduz rapidamente para Sempre Alerta para Servir? Ou o tal de SAPS continua a ser SAPS? Analisemos com carinho o tal de SAPS. Os lobos não deveriam participar com seu Melhor Possível? Coitadinho dos azulões. Para ser leal com eles deveria ser MPSAPS! Que papo danado de chato eim? Se quiserem podem me contradizer. Não ficarei chateado. Não gosto de dizer SAPS. Prefiro o meu bom gostoso e supimpa tradicional Sempre Alerta! O adoro de montão. Ele é assim em todo o mundo com algumas variações.

                      Vocês nunca irão encontrar países com escotismo com saudações abreviadas. Tentem escrever para um inglês, francês, espanhol, russo, ou seja, lá que país for e coloque em baixo – SAPS! Ele vai ficar baratinados. O que seria isto? Alguém irá dizer para ele: - São coisas de brasileiros! Mas se fosse Sempre Alerta todos saberiam. Claro que os alemães responderiam: - Alizeit bereit, o espanhol diria Siempre Listo, o filipino Laging Handâ, o finlandês Ole valms, o francês Sois Prêt ou Toujours Prêt, o Holandês Weest Paraat, o inglês Be Prepared o Italiano Sii Preparato. Ufa! Melhor parar por aqui. Será que alguns deles têm abreviaturas?                     Outro dia fiquei pensando, que tal uma volta em uma máquina do tempo, ir ao Jamboree que BP estava presente você chega e diz em português: Salve Lord Baden-Powell. SAPS! E ele? Ia sorrir. Um velhinho amigo e um perfeito gentleman e mesmo não entendendo iria sorrir para você. Se alguém traduzir ele ficará encucado com o tal de SAPS! Primeiro vai analisar pelo idioma Zulu, ou espanhol, ou francês, ou italiano. Depois vai ver que não estava mesmo entendendo nada.

                     Bem cada um diz o que quer. Eu não. Sou um tradicionalista nato. Se fosse um chefe Escoteiro iria ensinar minha sessão a dizer Sempre Alerta, ou Melhor, Possível ou servir. Isto para eles significaria muito. - Estarmos Sempre Alerta para o que der e vier. Akelá! Farei o melhor possível! Mestre Pioneiro, Servir! Conte comigo. Mas SAPS? Putz Grila! Mas deixa prá lá. Agora é tudo moderno. Usam um palavreado para dizer o que vão fazer do escotismo que a gente enrola a língua pensa, medita, acampa no fim do mundo e acaba não entendendo nada. Os “çabios” no escotismo continuam por aí. Não sei mesmo onde vamos parar. Não temos crescimento de efetivo, temos uma evasão fantástica, não existe um apoio real aos voluntários, os “Çabios” fazem tudo sozinhos, não perguntam não pesquisam não querem saber o que seus “comandados” podem dizer. Perguntar? Nada disto, melhor dizer SAPS.     


                         Risos. "Velho" chato de galocha não tem outra coisa para se preocupar? Não tenho não. Sou um desocupado aposentado meu amigo. Defendo com o que posso as tradições Escoteiras. Quanto a ser um Chato de Galocha sou mesmo com muito orgulho. Risos. Chega por hoje, fiquem esplendidamente bem. São meus desejos sinceros e não deixo de colocar aqui o meu gostoso Sempre Alerta para servir e abaixo o SAPS! Risos. Boa noite!