HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

terça-feira, 16 de agosto de 2016

A Tropa de Monitores. Parte II.


Conversa ao pé do fogo.
A Tropa de Monitores.
Parte II.

                  Não tem como esconder. Qualquer Chefe experiente consegue observar se a Tropa escoteira vai bem ou mal. Vejamos alguns sintomas: - Patrulhas com menos de seis jovens. Nunca se reúnem para serem informados, conversar e adestrar sob a égide do seu monitor. Elas não têm canto de patrulha e nem sabem o que isto significa. A disciplina só existe quando o Chefe exige, quando ele é durão no trato com todos. Observe cada Escoteiro da patrulha. Se só o monitor tem mais estrelas de atividade se só ele tem mais etapas e especialidades é sinônimo de que tudo vai mal. Se só ele o monitor tem cordões de eficiência, se só ele resolve e faz tudo se não sabe liderar com cortesia então tudo vai mesmo mal. Algum tempo atrás um Chefe comentou que compete ao adulto determinar e fazer o programa, ou seja só o Chefe é quem decide Na opinião dele ouvir os jovens é perda de tempo, dizia que só os adultos tem a capacidade de orientar e fazer realizar. Fui à página do Chefe para tentar compreendê-lo melhor. Era um pedagogo e PHD em alguma coisa. Escotismo mesmo aprendeu há poucos anos.

              Infelizmente os cursos de formação tem dado pouca atenção ao sistema de patrulhas. Todos nós, que fomos ou somos Escotistas de tropa escoteira, seja masculina ou feminina, temos que ter um tempo de conhecer melhor nossos monitores. Claro eles são a razão do sucesso da tropa. Eles são diferentes, mais adestrados, mais experientes. Muitas vezes estão mais próximos a nós. Afinal é com eles que falamos no desenvolvimento na tropa, dos jogos, nos avisos, dos acampamentos enfim, são eles os nossos olhos e ouvidos junto aos demais escoteiros. Isso não cabe nenhuma dúvida. Eles são os responsáveis diretos para o adestramento da sua patrulha com a colaboração do Submonitor. Qualquer um conhecedor do programa Escoteiro de Baden- Powell sabe que dificilmente os jovens permanecem onde não se sentem bem, onde não é valorizado e nem ouvido.

               Reunir jovens, promessá-los, andar em fila indiana para alguma atividade extra-sede, levar todos para um acampamento onde não existe nada que dê a eles liberdade para fazer fazendo é fácil para quem sabe comandar. Bem diferente daqueles que preferem orientar e ajuda-los nas tarefas mais difícil quase sempre através dos seus monitores. Quando você encontra uma tropa escoteira “sentadinha” e o Chefe palestrando é sinal que o verdadeiro escotismo ali passou longe. Eu costumo dizer que o exemplo vem de cima. Se a nossa própria liderança nunca consulta os jovens, não pergunta, não faz pesquisas de como está à evasão e a motivação, então muitas tropas copiam seus diretores que sabem sempre o que o jovem quer. (esqueçam a falácia dos Jovens lideres que são formados com jovens de 17 a 27 anos, portanto não são jovens em tropas escoteiras). O pior é quando os dirigentes e formadores e nós próprios não vemos que os resultados não são os melhores. Assim você meu caro Chefe escoteiro tem uma responsabilidade enorme na formação de seus jovens para o futuro.

               Quando temos boas patrulhas, bons monitores, quando procuramos orientar baseado na lei e promessa, aonde o respeito vem em primeiro lugar, o sucesso é garantido. Analise as vantagens de trabalhar com os monitores. Ensine-os, adestre-os, mostre a eles como liderar. Sabemos que o pensamento que para ser líder é preciso já ter nascido assim é uma temeridade no desenvolvimento do programa Escoteiro. Não se nasce líder mas podemos perfeitamente ajudar na formação de um ou melhor de todos na Tropa escoteira. A preocupação é fazer de todos eles lideres de si próprio de saber liderar quando for necessário e para isto liderar e ser liderado faz parte do jogo do programa Escoteiro de Baden-Powell. Portanto é primordial que tenha uma ligação direta com seus monitores,  pois estes sim é que darão o prumo da navegação para a vida dos demais escoteiros. Para isto não precisamos ser um professor nem tampouco um douto em escotismo. O correto é conhecimentos aos monitores e estes irão passar aos seus patrulheiros.

               Enfim faça uma boa patrulha de monitores. É o melhor caminho para o sucesso. Dê eles conhecimento, aprendizado de liderança, técnicas mateiras e Escoteiras e principalmente ouça. Ouça sempre o que eles tem a dizer. Se você já tem as respostas para tudo que disserem é sinal que não trabalha com seus monitores. Se eles comentam pouco é porque o Chefe não sabe ouvir, então porque comentar ou falar? E finalmente lembre-se que os jovens fazem seus próprios programas com seus amigos de bairro, da escola e se saem muito bem. Porque no escotismo que tem tudo para oferecer, uma vida de aventuras, sonhos de mudar sua rotina de cidade, deixar que cada um seja um herói de si mesmo não seria este o caminho para um verdadeiro escotismo motivador? Quando uma tropa se reúne por mais de quatro reuniões consecutivas em sede, sem sair para o campo nem que seja por um dia podemos analisar que a desmotivação está começando a acontecer e logo alguns deixarão de participar das reuniões.

                Sem querer ser o dono da verdade, alerto a todos por programas de última hora, cujo Chefe recebeu convites de autoridades para alguma atividade no bairro ou na cidade, e mesmo que ele ache que aquilo é perfeitamente normal para a educação escoteira, considerando como boa ação coletiva, nem sempre isto serve como motivação. Tenho centenas de exemplos de jovens que deixaram o escotismo por este motivo. Compare o número de participantes em uma saída de um dia para uma boa atividade aventureira fora da cidade com uma participação em solenidades ou mesmo a serviço colaborando em trabalhos sociais em alguma praça ou local previamente determinado pela autoridade local. Devemos sim ter estas atividades como objetivo, mas devidamente preparadas com bastante antecedência. Lembremos que o escotismo não tem caráter de obrigação. Ele é aceito pelo jovem e se o pai ou responsável exige sua presença ele nunca terá condições de absorver o verdadeiro espírito Escoteiro. No escotismo ele é Chefe de si mesmo. Ele sim é quem dará o caminho para o sucesso em sua formação moral intelectual e espiritual.

                Deixo aqui um lembrete para os que tiverem tempo ou mesmo ainda não conhecem o vídeo Escotismo para Rapazes segundo Ian Hislops -Ficheiro único(pt-pt) (


https://www.youtube.com/watch?v=9Rua1kw-tzc) que assistam analisando parte por parte do que Ian Hislops diz sobre as ideias de Baden-Powell. E o que ele pensava do futuro do escotismo no mundo. Terminando lembre-se quem precisa fazer bom escotismo são os jovens. Os chefes e assistentes estão ali para colaborar para que isto aconteça. Sucesso meu amigo ou minha amiga. Até mais...