HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Virgulino, um repórter da patrulha Condor.


Conversa ao pé do fogo.
Virgulino, um repórter da patrulha Condor.

               - Boa tarde Chefe! – O que foi Virgulino? – Chefe o senhor devia dizer boa tarde! Não vê que estou lhe entrevistando? Não foi o senhor quem disse que eu devia praticar para tirar a especialidade de repórter? – Chefe Nonô olhou Virgulino de soslaio. – Agora Virgulino? É hora de reunião! – Mas é sobre isto que quero entrevistar! – Certo cinco minutos está bem? – O suficiente Chefe. – Então comece, pois tenho muitas coisas ainda para fazer e não estou aqui por sua conta!

- Seu nome? - - Antonio Nonato apelido de Nonô. -  Idade? - 28 anos. - Nasceu onde? (Chefe Nonô coçou a cabeça, mas queria demonstrar boa vontade). Em Pedra do Sino, Minas Gerais. – Porque resolveu ser Chefe? – Porque nunca fui Escoteiro e gosto disto – O senhor se acha um bom Chefe? – (Chefe Nonô coçou o gogó, notou que estava sendo encurralado) – Bem pelo menos ninguém até agora reclamou! – Chefe, porque o Senhor veste o uniforme aqui na sede? – Porque não tenho tempo e venho correndo para ensinar a vocês! – Chefe o Senhor acha correto isto? Não é um mau exemplo? – Chega, faça outra pergunta ou se mande para sua patrulha! Chefe o que o Senhor acha dos jovens quando querem dar uma opinião sobre a reunião? – Porque não? Sempre que fui procurado eu ouvi tudo que tinham a dizer! – Só ouve e mais nada? – O que você queria mais? – O Raimundo disse ao Senhor que os jogos estavam repetidos e sem graça, o que o Senhor fez? – (Chefe Nonô não estava gostando do rumo da entrevista) – Acho que o Raimundo quer muita coisa e não dá nada em troca! – O que ele deveria dar em troca Chefe? – Ser mais frequente, mais assíduo, mais leal, porque ele reclama com vocês e não reclama comigo? – Chefe não seria porque o Senhor não dá satisfação a ninguém?

- A coisa estava esquentando para o Chefe Nonô. Seria melhor encerrar ali antes que ele perdesse a paciência – Chefe! Continuou Virgulino – O que é aprender a fazer fazendo? – Só a frase por si só se explica, será que você não entendeu? – Chefe porque o Senhor não deixa a gente aprender nos acampamentos? – E quem disse que não deixo? – Chefe o Senhor só fica nas patrulhas fazendo tudo, reclamando, e querendo demonstrar que sabe tudo, dizendo que é assim e assado e a gente acaba desistindo! O Senhor não Acha? – Não acho! Gritou o Chefe Nonô. Eu sou amigo de todos! Estou ali para ajudar vocês! – Amigo? E porque suspendeu o Armandinho por dois meses? – Chefe Nonô estava agora fulo, um escoteirinho o desafiando? – Suspendi porque ele foi malcriado, não respeitava mais a patrulha! – Chefe e porque não discutiu o assunto na Corte de Honra? E porque não falou com os pais dele? – Porque não quiz!!!! Gritou. – Eu sou o Chefe aqui e pronto e não tenho que lhe dar satisfações! Faço o que acho que devo fazer! – Chefe, porque o Senhor está vermelho e tremendo? – Vá para sua patrulha e cale a boca! – Qual patrulha Chefe? O Senhor não viu que não veio ninguém dela hoje?

- Chefe Nonô quase deu uns petelecos em Virgulino. Custou a se acalmar. Deu três apitos e formou a tropa. Não passavam de doze. A maioria não veio à reunião. – Ele com raiva gritou com todo mundo: - Avisem aos patrulheiros que não vieram, que os que não comparecerem no sábado estão suspenso por noventa dias! E não vão mais ao acampamento – Virgulino levantou o braço: - Chefe! Qual acampamento? Tem oito meses que só ficamos aqui na sede, e só vamos a praça catar lixo e mais nada? – Você acha que eu posso ficar a disposição de vocês? Eu tenho mais o que fazer!  –  Chefe! - O que foi desta vez Virgulino? – Porque vai suspender os que não vieram? Eles não vão voltar mesmo! – Chefe Nonô não aguentou mais. – Virgulino? – Sim Chefe! - Esqueça a especialidade de repórter. Você não passou e não tem condições de receber o distintivo! - Virgulino riu baixinho. – Porque está rindo? Perguntou o Chefe. – Eu rindo Chefe? Estou é pensando se no próximo sábado voltarei aqui. Vou pensar bastante na semana! – Se quiser sumir, suma! Disse o Chefe. Aqui só tem machos, homens de verdade! Quem é mole e covarde não serve para ser Escoteiro! – Toda a tropa calou. Todos olharam para baixo. Não tinham mais o que dizer.

- E vou falar para todos vocês! Aqueles que não quiserem vir, que não venha mais. Eu me sacrifico, me mato, dou duro e venho aqui todos os sábados, estou cansado, e vocês não agradecem? Que sumam e não voltem mais! Escoteiro que é Escoteiro sabe sorrir nas dificuldades – Uma vozinha lá no fim da fila gritou – Chefe o que nós estamos fazendo aqui?


( Tire você suas próprias conclusões leitor!).