HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Boa trilha escoteira? Sei lá, entende?


Crônicas de um Velho Chefe Escoteiro.
Boa trilha escoteira? Sei lá, entende?

                 Cheguei à conclusão que sou diferente. Onde todos estão de verde eu estou de amarelo. Tudo que faço é errado. Sei lá entende? Quem sabe O Pedro da Escolinha Escoteira iria me dizer: “Há controvérsias”! E iria completar: “Então, não me venha com chorumelas!” - Este tal de escotismo moderno me enche as paciências. Só porque não aceito esta tal modernidade, vi alguns chefes raivosos imitarem o Seu Peru da Escolinha: - “Estou porrr aqui com você”! Afinal dizem que velhos escoteiros não existem. Uns dizem que são ex-Escoteiros, outros antigos escoteiros e outros afirmam que são veteranos. Como dizia a pudica Dona Bela, esta turma “Só pensa... Naquilo!”. Prefiro não discutir, mas eu adoro me chamar de Velho Escoteiro Chato de galocha. Fizeram até um grupo no Facebook onde nos chamam de escoteiros mais velhos. Bah! Eu mais Velho? “Sou novo meu!”. Teve um que me disse: - Chefe somos veteranos. Eu sorri sem graça, pensei no seu Rolando Lero que dizia: - “Captei! Captei vossa mensagem amado mestre!”. E por favor, não me confundam com seu Samuel Blaustein que dizia: - “Fazemos qualquer negócio!”.

                   É... O escotismo está mudando. Não sei onde vai parar. Não cresce a evasão sim cresce, e tem cada um que parece dois. Se você chegar perto de um desses grandões e pedir para cantar o rataplã, sabe o que ele dirá? – “Opa! Tá na ponta da língua!” não é assim que dizia o Sandoval Quaresma? Chefe, calma, “Eu estava indo tão bem!”. Já pensou acampar com aquela Tropa que aonde vai tem de ser em um sítio, onde tem agua quente no chuveiro para o “chefinho”, luz, WC, fogão a gás. Bem, me disseram que um Chefe corre na cidade para comprar as “quentinhas”.  Bacana não? Só falta o Paulo Cintura aquele fisiculturista acordar a turma de madrugada e dizer: “Vamos malhar! Saúde é o que interessa, o resto não tem pressa! Iiiissa!”. Eu vendo isto me pergunto aonde vou me esconder quando vierem atrás de mim. Afinal isto é acampamento? Mas não tem jeito, sempre me acham para reclamar. Oselino Barbacena é que ia gostar. Ele sempre se escondia e dizia: “Ai, meu Jesus Cristinho, já me descobriu eu aqui de novo! Larga d’eu sô!”.

                   Enquanto isto vou caminhando nesta estrada escoteira esperando encontrar um chapelão de abas largas, alguém de calça curta caqui, um sorriso nos lábios e quem sabe encontre com seu Suppapau Uaçu, o índio com seu sotaque carregado que iria dizer: “C’es moi! Suppapau Uaçu, o gostoso! Manda! Arrepia!”. E a tal da vestimenta? Desculpe você que está lendo e adora mas eu não. Poderia até gostar mas impuseram sem nos consultar. Agora os Grupos novos só recebem Autorização Provisória com a vestimenta. Afinal nenhum líder de distrito e região mostrou os dois uniformes? Só um que custa caro é o certo? Pô meu, cê parece que num sei? “É o seguinte, quer dizer, em também não sei, mas supondo que soubesse, eu diria, sei lá entende!” Patropi devia ter sido Escoteiro. – Sem crise, sem crise! Soube que em um curso alguém disse que era ateísta. O mundo veio abaixo. O dirigente Formador não gostou. Queria tirar o moço do curso. Melhor chamar seu Boneco para resolver a questão: “Ligadão nas quebradas, chefia, mas que hora é a merenda?” Mas se quer mesmo saber minha opinião “Vou responder ‘dis costa’. Crasse!”.

                   Enfim, não adianta brigar nem discutir nem chorar. Os donos do poder Escoteiro não abrem mão. Se você tem um amigo que pertence a Corte e pergunta aonde vamos chegar, ele responde a lá Patropi: - “Meu, daria para me incluir fora dessa?” – Você sabe que eu cheguei atrasado e para compensar vou sair mais cedo!”“. De vez em quando me levanto vou caminhar e fico me perguntando – Escotismo! Onde está você? Estava tão perto e hoje está tão longe! E olhe dizem que sou mesmo um tradicionalista chato de galocha. Lembrei-me do seu Valdemar Vigário e sua tirada: - “O menininho...Cabeçudinho...Joelhinho grosso... perninha fina... Quem? Quem? Ele Raimundo Nonato. Ainda bem que ele não disse Vado Escoteiro. Sei que não nasci em Maranguape. Afinal ele me perguntar: - Te lembra disso?”.

                         Bem melhor parar por aqui. Tem muitos politicamente corretos que adoram a UEB atual. Eles nem leem o que escrevo. Se lerem ficam “danado de raiva”. Lembram-me do Batista da Escolinha – “Faço tudo que o senhor mandar!”. “Saúde, paz amor, harmonia, alegria e prosperidade pro senhor e prá toda família!”. Já os vejo bajulando um Rei da Corte Escoteira dizendo: - “Gostaria de falar uma coisinha pró senhor! O senhor me autoriza?”. Ainda bem que sou mineiro, diferente do Nerso da Capitinga, cheio de manhas, mas que afirmava: “Eu não sou bobo não, fio!” “É seu este escotismo e não meu!” e terminava – “Intão tá, intão!”. E vamos parar... Zevini! Zevini! E o seu Bertold Brecht sorriu mas logo o chamaram de “Camarão” – “É a mãe!, Camarão é a mãe!”.


                      Chega por hoje, fico por aqui, olhe se você não está satisfeito com o escotismo de hoje eu só posso lhe dar um conselho: - “É o seguinte, quer dizer eu também não sei, mas supondo que eu soubesse, eu diria, sei lá entende?”. Até outro dia meus amigos e termino repetindo João Canabrava, afirmando como eu afirmo. Estou “Sóbrio”. – “Bota mais uma UEB gente fina” “Fecha a conta e passa a régua!”.