HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Escotismo tradicional e Escotismo de resultados.


Conversa ao pé do fogo.
Escotismo tradicional e Escotismo de resultados.

                   Escotismo tradicional. Sim. Este é o tema da moda. Cada um de nós interpreta a sua maneira. Tem aqueles que leram toda a biografia de BP e acreditam que assim deve ser feito. Outros aprenderam em seus Grupos Escoteiros e acreditam que praticam o tradicional. E tem aqueles mais esclarecidos que analisam pedagogicamente levando em consideração a evolução dos tempos. Para esses o tradicionalismo não é importante. Estes últimos acreditam que o escotismo tem de evoluir e não importa o método a ser empregado. Se ele o novo método tem dado certo nos países de primeiro mundo aqui também vai dar. Disseram-me uma vez que nosso movimento dentre outras necessidades pretende a formação e adestramento de jovens e suas lideranças. Sem menosprezar que devemos fornecer aos jovens boa cidadania, iniciativa e desenvolver suas potencialidades físicas, mentais e espirituais. Seria isso?

                            Existem algumas correntes interessantes no escotismo. Uma delas é que as técnicas utilizadas no passado, que sempre atraiu o jovem pela sua própria simplicidade hoje não fazem o mesmo efeito. Era uma linguagem fácil bem diferente dos termos técnicos e pedagógicos utilizados hoje. Era uma época da escola do aprender a fazer fazendo, a prática da demonstração e descoberta, recheada de atividades ao ar livre, aprendizado por patrulhas que se tornam uma equipe onde cada um pode aprender vivenciando a fraternidade e o aprendizado. Muitos acham que estas técnicas escoteiras idealizadas por B-P deveriam se manter atuais até hoje. Alguns dizem que o aplicado agora em termos modernos na prática ainda não deram bons resultados na aplicação. Comentam que muitos repetem essas técnicas sem colocar novos atrativos, e isto pela ausência do método a ser aplicado trouxe um enorme desinteresse para os jovens.

                            Costumo pensar muito no escotismo de resultados. Apesar de me manter fiel ao método de Baden-Powell e ter lido que ele também acreditava se os resultados forem os esperados podemos sem sombra de dúvida fazer e aplicar a nova metodologia e aplaudir. Entretanto o que vejo é que no domínio da educação somos considerados um movimento atrasado e ineficaz. Perdemos nosso rumo? Rumos definidos com crescimento satisfatório, perfeita sincronia do jovem com o adulto, motivação constante e uma permanência mais efetiva e com isto produzir os frutos que esperamos. Por mais que se diga, se tente não estamos alcançando êxito.  A cada ano, a cada década novos lideres nos trazem experiências de outros países e o que estamos vendo são resultados incompletos. São sessões vazias, entrada e saída de jovens que permanecem por pouco tempo nas lides Escoteiras, programas complicados e muito pouca atividade ao ar livre.

                         Não tenho dados dos que dizem realizar o escotismo tradicional nas diversas unidades locais em todo território Brasileiro. Aquele orgulho de um dia ter sido Escoteiro está se arrefecendo. Testemunhos são dados por muitos que se ressentiram dos métodos, dos chefes e da organização. Repetir que B-P considerava um tempo mínimo de dez anos para que o método Escoteiro pudesse ter algum resultado nos dias de hoje isto é utópico. Quando muito os jovens permanecem por um ou dois anos, mas a grande maioria fica no máximo por seis a oito meses. Resultados assim? Esqueçamos os dez anos, vamos pensar em um programa que dará consistência de permanência pelo menos por dois ou três anos. Temos? Quando teremos um programa que a maioria dos jovens quando adulto irão se orgulhar do escotismo que fizeram?

                          Quando B-P reuniu em 1907 na Ilha de Brownsea na Inglaterra vinte jovens de diferentes meios socioeconômicos e educativos, ele trouxe uma enorme contribuição educacional que na época estava estagnado. O escotismo veio dar uma nova visão mais abrangente às escolas e elas é que estão atirando partido das técnicas Escoteiras da demonstração, observação e dedução e aplicando em suas classes. Vejamos, o escotismo é uma fraternidade livremente aceita, não tem caráter de obrigação e o adulto só atua com supervisão. Alguns se ressentem pelo método idealizado por B-P e até outros lideres de outros países são citados como os verdadeiros criadores do movimento Escoteiro. Afinal era um método novo que se apresentava de uma maneira simples e que atraia os jovens pela sua própria simplicidade. Uma linguagem fácil muito afastada dos termos técnicos no mundo pedagógico e sociológico de hoje.

                                      Ajudar hoje aos jovens para que amanhã eles possam se orgulhar de terem sido escoteiros deveria ser uma meta. Se não esquecermos que o método de B-P sempre se mostrou confiável e se o aplicarmos de maneira correta não há duvida que os resultados vão aparecer.  As técnicas de aprender fazendo e tentar fazer sem saber, até descobrir o certo através do erro, sempre foram partes do método Escoteiro. Confiar no rapaz para que ele próprio seja responsável pela sua autoeducação e disciplina sempre fez parte do Escotismo. Sempre pensando em dar liberdade ao jovem para que ele próprio seja responsável pela sua autoeducação e disciplina. Liberdade ao espirito de competição e da aventura, através de jogos, acampamentos e excursões. Este é o Programa Escoteiro tradicional e que bem realizado se mantém na liderança das técnicas até hoje empregadas.

                                    Resultados aparecem com bom escotismo. Com técnicas Escoteiras bem realizadas. Ainda não temos personalidades brasileiras que no escotismo tiveram boas recordações e hoje dão seu testemunho das vantagens da formação escoteira. Precisamos ter profissionais a altura para nos representar nas diversas áreas, seja utilizando o marketing corretamente na imprensa falada escrita e televisada. Precisamos de bons profissionais para dar testemunho das vantagens do escotismo na formação da juventude. Ressentimos com a falta de bons conferencistas, homens e mulheres com trânsito livre nos meios educacionais e empresariais. Lutam por uma Frente Parlamentar, mas os resultados dela são pífios.  É impossível hoje e cobrar um passado que mesmo sendo saudosista para muitos não nos deixou grandes homens na liderança escoteira seguindo o caminho do sucesso tão esperando.


                                 Quando nos entendermos do mais alto escalão ao mais humilde Chefe de uma unidade local que conversando trocando ideias e sugestões ouvindo os jovens, pesquisando e sendo transparentes nossos objetivos serão alcançados. Cobrar hoje o escotismo de resultados é cobrar uma utopia. Nossa nação precisa urgente de homens e mulheres formados no escotismo que possuem honra caráter, ética, responsabilidade, respeito às leis, e claro formação não só moral como também ser exemplo na comunidade em que vive.