HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

terça-feira, 7 de abril de 2015

Acampar, um sonho escoteiro. Acampamento de Gilwell - Segunda parte.



Conversa ao pé do fogo.
Acampar, um sonho escoteiro.

Acampamento de Gilwell - Segunda parte.

                     Pensemos que hoje em dia um acampamento requer uma preparação e uma organização perfeita. Isto feito é a “alma do negocio”. Se o jovem sorrir na volta do acampamento os dividendos serão eternos. Pode confiar que ele vai ficar anos e anos no Movimento Escoteiro. Temos uma charge muito antiga que mostrava duas situações: - “ele esperava isto, e encontrou aquilo”. Ele sonhava com atividades mateiras, escadas de cordas, barracas em cima de árvores, construir pontes, transmitir por bandeirolas, aprender sinais de fumaça, nós, pistas de animais e tantas outras técnicas e encontrou o contrário, um Chefe falando, falando e falando. Ou quem sabe um Chefe apitando, um Monitor mandão, uma Patrulha desanimada, uma Falsa Baiana que foi feita pelo Chefe, uma fila enorme, pois ele levou lobinhos seniores e ele cochilando e aguardando sua vez. Ele vai voltar? Não vai. Era isto que esperava? Não era.

                   Podemos fazer o melhor programa de campo, mas sem um bom Monitor treinado e sem as técnicas de Giwell próprias para um bom acampamento nada vai dar certo. O Monitor é peça chave para desenvolver o Sistema de Patrulhas. Sem isto o acampamento será um amontoado de corre, corre sem rumos definidos e sem objetivos. Acredito que muitos conhecem bem o Sistema de Patrulhas ou já leram sobre isto. O Capitão Roland E. Phillipps há mais de sessenta anos atrás escreveu no seu livro o Sistema de Patrulhas que se mantem atualizado e é o que melhor se conhece até hoje sobre o tema. No livro ele descreve pormenores interessantes que vale a pena conhecer. Pensando que você já tem bons Monitores, patrulhas adestradas antes do acampamento, um bom material para as patrulhas e para você mesmo, um bom local já escolhido previamente e devidamente autorizado, não haverá duvidas, o acampamento será perfeito.

                  Não é fácil montar um acampamento. Na primeira parte deste artigo (publicado aqui) comentamos sobre muitos temas. Eu sinceramente não gosto de acampamentos só para ricos ou que o grupo assuma todas as despesas. Nem mesmo para uma meia dúzia. Temos uma tropa? Então o acampamento é para todos. Cobraremos sim uma taxa, a menor possivel para que o Escoteiro possa trabalhar e pagar.  O jovem ou a Jovem devem aprender desde cedo que a vida não é um mar de rosas e nem que haverá alguém para auxiliá-lo. Ele pode conseguir sem sombra de duvida se for uma taxa acessível. Para isto é necessário que o saldo restante seja completado pelo grupo através de sua diretora. Vejamos algumas sugestões:

a)     Conseguir por meios dos pais e a diretoria do Grupo Escoteiro uma quantia que dê para cobrir as despesas, tais como – transporte, alimentação e outros. Esta é a maneira usual. É caro isto. Depende do Grupo Escoteiro. Cada grupo é um grupo. Sabemos que muitos Escoteiros e Escoteiras não têm condições de pagar, assim precisamos montar um plano para diminuir esta taxa.
b)     Uma comissão de dois ou três chefes com um ou dois pais para tentar junto à prefeitura, órgãos militares, empresas de ônibus visando conseguir transporte gratuito. Bato-me para que os contatos sejam sempre feitos por chefes ou Escoteiros bem uniformizados e treinados no que vai falar. Isto posto o sucesso é garantido.
c)     Uma reunião de pais dos jovens da tropa para ver como conseguir pelo menor preço os gêneros alimentícios necessários. Muitas vezes demorasse um tempo para que estas reuniões se tornem um hábito de comportamento. Pai não foi? Você vai a casa dele. Telefone para ele. Explique você o está ajudando, não é você quem precisa do escotismo é o filho dele. Já vi bons resultados em compras de supermercados de conhecidos deles. Ou então o próprio gerente sabendo do que se trata dar  um bom desconto. Assim a alimentação não ficará cara. Note-se que o cardápio tem de ser simples e barato. Como se diz na gíria, “o arroz com feijão como o feito em casa”.
d)     Para mim sempre deu resultados, mas não sei se para vocês irá acontecer o mesmo. Trata-se de fazer um cardápio simples. Calcular as quantidades e cada Escoteiro leva de sua casa. Os pais devem ser informados.

                 Não esquecer que é preciso cumprir certas normas exigidas pela UEB portando conhecer o POR principalmente acamamentos é importante. Fugir delas e acontecer algum acidente podem complicar a vida do Chefe, do grupo e o nome do escotismo na comunidade. Alerto principalmente para o banho em lagoas, rios, mar e represas. A autorização por escrito dos pais é imprescindível. Hoje tem uma parafernália de exigências no SIGUE que os grupos registrados não têm como fugir, mas os as demais associações escoteiras são bem mais simples. Hã! O passado era mais simples. Considerando que tudo foi realizado, que a partida organizada pelos monitores foi no horário, o caminho foi aberto para um bom acampamento. Na chegada uma reunião de monitores, escolha do campo de patrulhas por eles. O Chefe só dá opinião se o local oferecer condições inadequadas tais como: - Intempéries, sujeito a enchentes ou mesmo inundação com chuvas intermitentes. Devemos lembrar que o Chefe tem só um canal no campo. Os monitores. A patrulha já deve ter seu plano de montagem de campo discutido antes na sede.

                       Deixe a patrulha montar seu campo. Não vá lá, nem para ver o que estão fazendo. Isto se chama aprender a fazer fazendo. Não é papel do Chefe ficar passeando de campo em campo. Você vai ter sua hora para aconselhar se for o caso. O tempo da montagem do campo é ilimitado. Depende do adestramento da patrulha. Não esquecer que o Chefe tem campo separado e nele fará suas pioneiras armará sua barraca e construirá outras artimanhas e engenhocas. Suas construções podem servir de exemplo para os monitores. Interessante é o Chefe convidar um dia do acampamento os monitores para almoçar em seu campo. Isto é sucesso para um melhor entrosamento. De maneira nenhuma deve aceitar todos os convites dos monitores para refeições. Quem sabe se tiver algum Escoteiro ou Escoteira preparando-se para uma especialidade de cozinheiro. O Chefe deve montar seu campo onde tenha boa visão dos campos de patrulha. Importante preservar o silêncio. A natureza com seus pássaros e animais  agradecem.

                    Se o acampamento for mais de três dias, todos deverão construir em seus campos um bom fogão suspenso com toldo, lenheiro, mesa de refeições barracas bem montadas, fossas e um pequeno WC.  Conheci patrulhas que com menos de quatro horas fazia tudo isto. É importante pensar nas peças chaves nas patrulhas: - Um bom cozinheiro, um bom almoxarife, bom aguadeiro, um perfeito intendente ou construtor de pioneiras. Se ela a patrulha tiver um bom Monitor e um sub perfeito tudo será o sucesso esperado.

                       Na parte terceira poderemos comentar sobre programas, horários, tempo livre para pescar, passear, conhecer as redondezas, quem sabe ir a um morro próximo para ver o nascer ou o por do sol (o mais importante) Eu disse patrulhas, não o Chefe arrastando todos atrás de sí. Antes de encerrar o campo, um breve Conselho de tropa. Cada um pode se expressar livremente do que achou do campo. Falaram mal de você? Não fique triste, se corrija para o próximo.

Breve uma terceira parte.