HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

sábado, 14 de novembro de 2015

Nada acontece por acaso.


Crônicas de um Velho Chefe Escoteiro.
Nada acontece por acaso.

               Não tenho o dom de conhecer a verdade. Sou um simples mortal e não um Velho feiticeiro. Alguns ainda perdem tempo lendo o que escrevo, mas outros tantos passam longe dos meus escritos. Dizem que tenho a mente no passado sou saudosista e não vejo o presente. Bem cada um tem o direito de dizer ou pensar de mim o que quiser. Tinha uma miscelânea de temas para escrever e separei alguns. Vou me meter em áreas que desconheço, afinal sou um Velho Chefe Escoteiro iletrado e o pior pobre. Risos. Não posso montar uma assinatura bonita nos meus e-mails dizendo tudo que sou. Têm assinaturas lindas, Doutor Fulano, Pedagogo, Professor Universitário, Jornalista, CEO de uma multinacional e assim por diante. Pensei em criar uma: - Chefe Osvaldo, um Escoteiro fora do seu tempo. Chefe? Escoteiro? Já vi alguns do movimento que dizem detestar esta palavra. Dizem que quem tem Chefe é índio. Achei que era cacique. Bem meus conhecimentos não vão a tanto.

                 Estamos aí às voltas com as estudantadas. Agora tomam escolas, fecham tudo e os pais e professores do lado de fora aplaudindo. Devem ter razões de sobra para isto. Afinal nossos governos são ineptos e só se preocupam com eles próprios. Li aqui e ali as razões do Secretário da Educação. Li também as metáforas dos estudantes colocando seus pontos de vista. Nada contra. Como sou antiquado achei que a escola era para estudar, aprender crescer e ser alguém. A minha primeira escola ficava a cinco quilômetros da minha casa. Levantava cedo e só as duas ia almoçar. Devia ter feito uma intervenção ou mesmo uma passeata. Quem dera, era outros tempos como dizem por aí, hoje a liberdade ainda que tardia prevalece. É mesmo. Outro dia mesmo encerraram a greve dos professores. Não sei quantos meses. Receberam seu pobre dinheirinho todo mês e não trabalharam. Mas eles precisavam mostrar que eram abnegados e o governo não reconhecia seus valores. (e não reconhece mesmo).

                        A estudantada se diverte. Já aparece nas janelas o líder. Dá ordens, diz o que deve ser feito, mostra sua indignação. Não posso retirar a razão dele. Sempre olho no futuro e o vejo como um futuro politico, quem sabe começa com vereador e termina como senador. Não tem um lá que foi assim no passado? Falando nos políticos estamos bem arrumados. Todos maldizem a maioria. São chamados de tudo. Levam à pecha de corruptos, alguns dizem que é coisa da oposição. Gosto de ver as defesas que fazem. Não sei se foi Getúlio Vargas quem disse – Que moralidade é essa? “Aos amigos (ricos) tudo; aos inimigos (pobres) os rigores da lei”. Disseram-me que foi Rui Barbosa o autor, mas o Google me contradiz. O pior de tudo que vivem apregoando que o “Petróleo é nosso”. Eu nunca recebi um centavo sei que paguei a gasolina todas as vezes que precisa encher o tanque. Encher? Isto é piada. – Moço, bota dez paus!

                         Querem derrubar a presidenta. Na minha opinião não foi honesta. Eu sempre votei no PSDB, mas o que ele faz hoje? Puxa o saco de quem não merece e quando o barco começa a afundar ele salta fora. Como dizem por aí, descem do muro. São poucos que ainda tem dignidade para continuar no cargo. Mas têm outros de outros partidos que merecem meu apreço. Não sei se eles foram tomar banho na Lava Jato. Ainda bem que os heróis são poucos e um juiz herói mostra a nação que podemos ter leis. Põem grandões engravatados atrás das grades. Eles berram, seus advogados citam leis, na mente deles os diretores e presidentes são perseguidos pela justiça do Juiz. Sei lá. No fundo eu gosto de ver eles no xilindró. Estou a pensar em quem vou votar no ano que vem. Dei uma olhada na lista que a UEB convidou para participarem da Frente Parlamentar Escoteira. Humm! Sei lá. Para mim não sobrou nenhum. Como tenho 74 e entrando nos 75 anos não sou mais obrigado a votar. Mas a coceira de dar meus pitacos é demais.  

                      Queria falar sobre leis, direitos e deveres. Com que argumento devo começar? Veja o que acontece hoje. Todo mundo tem direito. Junta um punhado de vinte ou trinta, tem aqueles que consegue cem ou mil e lá vão eles fazendo sua passeata pelas ruas sem perguntar se o direito deles termina onde começa o meu. Eles tem razão? Claro que tem. Suas causas são justas, mas e a minha que tinha horário para trabalhar, horário da consulta ao médico, horário de estar no fórum para explicar ao Juiz porque não paguei a prestação e ao banco não vale? Pensei com meus botões (quase não tenho nenhum, perdi a maioria da blusa de frio de tão velha que ela é.) Será que não tenho direitos? O moço para o carro na minha porta abre todas as portas e a todo volume coloca suas músicas preferidas. Cada um de correr para os Montes Apeninos.  Eu que gosto de ouvir nas minhas horas calmas um “L’orfeu de Claudio Monteverdi, ou Dido Ands Aeneas de Henry Purcel, ou mesmo um Giulio Cesare In Egitto de Georg Friedrich Händel me estremeço e começo a ficar louco”.

                       Ah! Leis. São estupendas. Outro dia um Chefe me disse: Não podemos mais acampar, mochila as costas, bandeiras ao vento. Se não der certo um pai ou uma mãe nos processa e nos coloca no xadrez. Afinal a UEB insiste no ECA (Estatutos da criança e do adolescente). Agora tem até curso para isto. Se não fizer não pode ser Chefe. Lembro-me de Dona Sinhá, sabe quem é ela? Uma vara de marmelo que minha mãe tinha atrás da porta do banheiro. – Vado Escoteiro! Se errar vai prestar contas a Dona Sinhá! Já pensou eu menino, chegando à escola e dizendo a Dona Terezinha minha professora que ia ocupar a sala e ela se retirasse? Será que mamãe e papai ficariam na porta me aplaudindo? E viva a Dona Sinhá! Enquanto isto a juventude toma conta. Cheguei outro dia em casa de um amigo. Todos na sala. Lindo de morrer! Há tempos não via isto. A mocinha com seu smartfone na mão nem me olhou. O jovem sorriu ao me ver e pregou os olhos mais ainda no seu novo tablet. A esposa velha conhecida me disse oi com os olhos pregados no seu celular. O Chefe meio sem jeito me disse: Chefe Vado Escoteiro pode me esperar um pouquinho?


                        Não desisto, nunca desisti. Sou espiritualista, acredito que novos tempos virão. Hoje está aqui uma horda de espíritos que foram dados novas oportunidades. Se eles vão aproveitar ótimo. Se não irão pagar por isto e voltarão quantas vezes se fizer necessário. Outras religiões também tem sua explicação. Deus acima de tudo e Jesus no coração. Ainda bem. Os Ateístas vivem com os pés no chão. Morreu bau bau. Quem sabe é melhor assim? E o escotismo? Dizem que vai bem obrigado. Ainda com a sede do poder. Que poder? Ah! Sim o tal poder do nada. Mas a fila é grande e a procura enorme. Todos querem uma boquinha na corte. A fila dos formadores não para de crescer. As razões continuam as mesmas, fazer do Brasil uma grande nação escoteira. E tome normas, leis e o escambal. Sem conversa Chefe! Não tem registro? Se prepare, irá pagar todos os seus pecados nas raias de um fórum qualquer. E olhe esqueça o SINGUE. Ele é o coração Escoteiro. Como não tem este direito vai pagar tudo que deve e o que não deve. Aguarde para breve um processo judicial! Falar mais o que?