HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

segunda-feira, 9 de maio de 2016

Condecorações & Recompensas.


Crônicas de um Velho Chefe Escoteiro.
Condecorações & Recompensas.

                         Hoje me deparei com uma publicação no Facebook onde chefes se apresentavam como integrantes da Comissão de Analise de Condecorações de um determinado estado da federação. Não sabia que existia tal comissão. Será ela quem vai julgar quem pode ou não pode receber uma comenda, uma condecoração? Bem acredito que os processos que solicitarem tais pedidos devem estar embasados dentro do espírito da Lei onde a palavra significa muito mais que um bom papel escrito. Mas será isto mesmo? Julgar quem deve ou não receber deve ser espinhoso. Um dia lá no tempo das diligencias fui dirigente da Região de Minas Gerais. Mudei todo o esquema. Tem dez anos? Quinze? Vinte? Não tem discussão. Medalha de bons serviços e pronto. Tem uma boa Tropa? Uma boa Alcatéia é um assistente assíduo nas atividades de sede e de campo? Medalha de gratidão e não tem discussão.

                        Julgar-me se devo ou não receber? Seria o caso de saber fazer um processo sem erro, com provas e firma reconhecida? Ou então será que alguém da comissão vai me investigar se mereço ou não? Já escrevi diversas vezes sobre este tema. Sei que é espinhoso, pois muitos não concordam comigo. Mas insisto que se somos um movimento fraterno, de irmandade, onde a palavra Escoteira tem valor eu tenho uma linha de ação e não fujo dela. Quem não gosta de um elogio? Quem não fica feliz em receber uma condecoração? Afinal quantos milhares lutam pelos jovens em suas sessões Escoteiras? A Akelá e seus assistentes que fazem tudo pelos seus lobinhos, o Chefe e os seus assistentes que procuram da melhor maneira possivel formar seus jovens dentro da metodologia Escoteira! Para mim não tem discussão.

                         Você olha para alguns dirigentes mais próximos do poder, ou então grupos com boa estrutura e lá estão chefes com muitas condecorações. Alguns dizem que são verdadeiras árvores de natal. Afinal eles têm e os demais não? Se no Grupo existe uma boa estrutura, se seu distrito (nem todos os grupos tem distrito) sabe o que fazer porque esquecer o voluntário com seus direitos de tempo e serviço? Se ao contrário não isto é motivação? Quando ele vai a alguma assembleia uma parte dela é para a entrega de medalhas e certificados de agradecimentos. Os que não receberam se sentem alijados? Claro que ele vai dizer que não se preocupa que não tem desejos, que para ele não importa. Eu sei que muitos dizem que estão no escotismo porque gostam dele e não andam atrás de medalhas. Certo isto? Não e não! Afinal se a UEB tem um sistema que acho perfeito no cadastro de todos os seus associados, o SIGUE e nele tem uma listagem dos escotistas e até escoteiros com seus tempos de atividade, porque então tanta burocracia? Duvida da palavra do Chefe? Duvida que ele seja leal? Ora bolas. Afinal temos uma só palavra ou é somente uma ficção?

                   As aprovações pouco mudaram em todos os anos que participo do escotismo e vejo quantas pessoas estão recebendo e outros não. Eu mesmo quando comissário nem pedia. Sempre recebendo uma. Deixei de ser comissário acabou. Nunca mais vi a cor de uma. Claro faz anos que não tenho registro e isto explica os últimos anos. Se você tem um cargo, é um formador antigo não precisa pedir e nem fazer processos. Recebe tudo que tem direito. Tem alguns que recebem até em duplicidade. Naquela época eu me perguntei: - Será que sou mais que um Chefe que labuta em uma sessão? Será que sou mais importante que ele? Foi pensando nisto que me lembrei de uma passagem no evangelho: - A César o que é de César. Ai eu me pergunto: - Para que foram criadas as condecorações? Só para os arautos do poder? Eles são os melhores e aqueles que carregam o escotismo nas costas não?

                  Uma vez um Velho formador me interpelou: - Chefe! Tem normas! Basta cada um ler aprender e agir. Fácil assim. Mas quantos têm e quantos não têm? Chefe ele é menor perante os outros? Não aceito tal ponto de vista. Elas foram criadas para promover, elogiar e agradecer pelo trabalho prestado. E não venha me dizer que a maioria não está nem aí. Isto não é resposta. Direitos não se discutem. Sabemos que todos trabalham de graça, sem receber nenhum centavo. O sistema é viciado. Ninguém em sã consciência tem o poder de dizer quem merece ou não. Que ele seja branco, preto ou amarelo. Que ele seja pobre ou rico não importa. Se não merece devia ser exonerado da sua função no escotismo. Afinal direitos são direitos.  
                      
                          Uma época eu enviava ofícios com nomes de chefes que fizeram por merecer. Nome, grupo, número de registro e endereço. Mais nada. Para mim isto bastava. Mas nem resposta eu tive da Direção Nacional. Conversei com o Escoteiro Chefe. Cara bacana, legal muito meu amigo. Ele me disse que as forças contrárias eram muitas. Dois meses depois recebi a Cruz São Jorge. O que eu fiz para merecer? Afinal aquele Chefe que deixou sua família, seus amigos e foi lá para o campo com sua escoteirada não merece? Sou contra esta burocracia infernal. É papel demais para quem quer ajudar a formar jovens no método Badeniano. Faz-me rir que até para ser voluntário tem que ir ao cartório para carimbar a firma. Afinal ninguém acredita em ninguém?

                          Dizem que "O pior cego é aquele que não quer ver, ouvir, nem acreditar”. O pior cego é aquele se faz de surdo. Aliás, o pior cego não é cego, é burro! “Assim vamos caminhando”. Ano retrasado quase 6.000 membros escoteiros se mandaram. As explicações dos politicamente corretos correram mundo. Os lideres da UEB se fingindo de mortos. – A evasão foi provocada por causa do fechamento de muitos grupos que faziam parte do Escotismo nas Escolas diziam. Dá vontade de rir. Ninguém correu atrás? Deixou acontecer e lavou as mãos? Uma explicação melhor, por favor, meus caros lideres da UEB. Que não me venham estes politicamente corretos que exaltam seus grupos e se acham donos da verdade. Eles os chefes e até os jovens são preteridos por uma burocracia infernal. Se o reconhecimento não é devido à maioria prefere sair e nem sempre estão errados por esta ação.


                         É tão fácil manter os voluntários no escotismo. Não é se fingindo de cego e surdo, é valorizá-los, acreditar em sua palavra. É dar um abraço sincero, é dizer por um e-mail ou uma cartinha – Obrigado meu amigo, você é muito importante para nós. Isto motiva isto faz com que trabalhemos com a juventude com amor e vontade de acertar mais e mais. Medalhas foram feitas para quem tem os mesmos direitos que os que sabem fazer seus processos como solicita nossos órgãos superiores. Ninguem é melhor que os demais. Eu sei que muitos não vão concordar. A valorização do voluntário no escotismo é de lascar. Condecorações e Recompensas não foram criadas para os Lords do poder e nem para os perfeitamente corretos em seus grupos. Afinal me expliquem melhor esta tremenda evasão anual de chefes e jovens do movimento?