HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

sábado, 14 de maio de 2016

Marketing – Uma miragem escoteira?


Crônicas de um Velho Chefe Escoteiro.
Marketing – Uma miragem escoteira?

                         Eis que na Folha de São Paulo de hoje me deparei com um belo Marketing Escoteiro. Marketing? Isto mesmo, para a Folha e não para a UEB. Ela não teve nada há ver com o artigo. Afinal ela nunca tem nada há ver. Seu marketing é de venha nós e mais nada. Quem quiser que vá a site. Ela adora. Tem os chefes que ainda ajudam publicando nas redes sociais o mundo maravilhoso da UEB ou EB no seu site escoteiro. Agora tem um novo, bem apresentado. Assim os associados correm até lá para ver as boas novas. Mas voltemos à folha. Uma página inteira sobre escotismo. Ops. Não é o que queria dizer é apenas uma bela informação do seu novo produto a venda por módicos $36,00. Nada menos que a reedição do Manual do Escoteiro Mirim. Uma bela página no Caderno da Ilustrada. Claro que eles falam que escoteiros mirins fazem nós, tem tinta invisível, tem sinal e tantas artimanhas e engenhocas para ninguém botar defeito.

                        Quando saiu há mais de 40 anos fez um enorme sucesso principalmente entre a escoteirada. A falta de literatura escoteira na época o Manual supriu boa parte dos sonhos escoteiros. Ajudou muito na procura de vagas nos Grupos Escoteiros. A página é bem feita. Nos ajuda com detalhes (não todos) quem são e o que fazem os escoteiros. A folha é boa nisto principalmente para fazer seu caixa afinal são profissionais no ramo. Espero que seja um marketing não só para a venda, mas também para motivar os jovens a procurarem as unidades locais a se matricularem numa boa sessão escoteira. Quem puder comprar a folha hoje poderá ver o artigo que ocupa toda a primeira página do Caderno da Ilustrada. Vale a pena ler. Ainda não é o que precisamos. Ainda temos na mente de muitos brasileiros que o escotismo é divertimento de criança e mais nada.

                         A hora que a direção da nossa Associação ver a importância da comunicação, pagando se preciso for e não ficar “baboseando” somente no seu site a dizer que a comunicação nos fez chegar mais longe, leva o escotismo a todos os cantos do país, (menos de 1.300 grupos para mais de 5.000 municípios brasileiros) e inacreditavelmente diz que a expansão escoteira é uma realidade. Dizer o que? Pelo seu relatório sem prestar contas do que éramos há dez vinte ou trinta anos atrás fica a impressão que a cada ano somos mais e mais. Dos dez países que foram os primeiros a ter seus escoteiros no mundo temos um efetivo de dar dó. Não somos nada comparados a eles. Exalta-se no relatório que chegamos aos 82.000 membros registrados. Beleza. Ainda nem passamos o que éramos há quatro anos quando já tínhamos passado dos 80.000 mil. Sem contar em 2000, 2005 e outros anos que chegamos bem perto.

                     Porque a associação que diz ter dezenas de patrocínios, no seu relatório cita muitos deles e não marqueteia na imprensa falada escrita e televisada as vantagens do escotismo na formação do jovem? Se a sociedade brasileira tivesse uma ideia melhor seriamos visto como um movimento educacional comparado as maiores organizações de jovens do mundo ou quem sabe a melhor. Aqui se desconhece Baden-Powell, quando muito vem lá escrito que era um General Inglês! Que criou o escotismo! Não temos força, não temos reconhecimento nacional. Nos meios educacionais somos vistos como um movimento infantil atrasado e ineficaz. E o que faz a Associação? Se prende no seu site e acha que está fazendo o que podia fazer. Será que ela pensa que o CEO das grandes multinacionais, os grandes Pensadores, Pedagogos e Dirigentes educacionais em todas as camadas sociais estão indo ler o seu lindo site?

                      Palmas para a folha. É assim que vamos de grão em grão tentando encher o papo. Vez ou outra a grande impressa aparece para nos ajudar ou nos massacrar. Se tivéssemos mesmo um marketing mais agressivo, mais firme nas suas informações, quem sabe teríamos um escotismo mais perfeito do que fazemos hoje. Mas não a Associação só pensa em faturar e tentar mostrar com palavras lindas, fotos especiais e tantas outras que enganam qual é o verdadeiro caminho para o sucesso. Enganar a quem com a Frente Empresarial Escoteira, com a União Parlamentar Escoteira dizendo que é o melhor caminho na formação de lideranças, conseguir o apoio ao Movimento Escoteiro e esperar que eles vão contribuir para o maior movimento de educação formal de jovens do mundo? Belas palavras.

                       O que se vê é uma frente arrecadadora, como se o caixa pudesse dar ao escotismo condições de sobrevivência. Me lembra um célebre politico brasileiro que vivia dizendo que precisamos apertar o cinto hoje para que amanhã todos pudessem ficar sem ele e as calças não caírem. Risos. Onde está a colaboração para baratear as taxas dos encontros nacionais? Onde estão o plano de metas para que a taxa de um curso seja a menor possivel? Onde estão a tentativa de ter profissionais escoteiros bem preparados para visitar as bases Escoteiras e as unidades locais dando apoio logístico ao crescimento Escoteiro na comunidade? Porque alguém que será homenageado ou mesmo ser condecorado tem de pagar por sua medalha? Porque não premiar os jovens que atingirem o Lis de Ouro ou Escoteiro da Pátria, com uma participação gratuita nos Jamborees Nacionais? Isto nem pensar. O caixa precisa engordar. Sem querer vi quantos funcionários tinha a Loja Escoteira Nacional. Um punhado de “mais maió de grande” como diz o mineiro. Haja gente para enviar a vestimenta que desbota e rasga sem ninguém esperar.


                        Bem não vou me alongar. Gostei do artigo da folha, uma vez fiz um dos sobrinhos do Tio Patinhas e do Donald. Publiquei aqui e muitos gostaram. Nada há ver com o da Folha. Marketing gratuito para o escotismo mas muito formal para o que desejamos mostrar as vantagens de ser Escoteiro. O trabalho seria outro. Bons comunicadores para alardear aos quatro cantos do país o verdadeiro valor da formação escoteira. Sei que não temos ninguém com fama ou sem fama de bom orador, conferencista, ou palestrita ou debatedor para estar a discutir nas rodas sociais, seja nos programas televisivos ou mesmo quem sabe em uma participação mais amiúde no You Tube onde tipos esquisitos com apresentações esquisitas tem sempre um publico de mais de milhão por semana. Não temos. Mal e mal algum Chefe com boa vontade pois a liderança escoteira não molha os pés e as mãos para ver se á agua está fria. Sempre conta com seus voluntários para dar o primeiro passo. E nem sempre este passo é para melhor...