HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

domingo, 5 de junho de 2016

Sem medo de ser feliz. Farda, uniforme, traje e beca. Tem mais?


Crônicas de um Velho Chefe Escoteiro.
Sem medo de ser feliz.
Farda, uniforme, traje e beca. Tem mais?

(Segundo o Gerente da Loja Nacional sobre a vestimenta desbotar e descosturar, ele explicou ao Conselho Consultivo na última NA: - (fato narrado por um amigo Escoteiro) – “É a reação química do suor com o sol que desbota a camisa”. Quá! Explicação idiota, uma tolice sem tamanho, está é a explicação da UEB?).

               Nossa! Chega! Pare e diga adeus há este tema. Já encheu! – Risos. Eu? Eu não, eu cheguei para ficar, aplaudir, dizer que não fui eu, nem o Zebedeu. Quem foi então? Calma já vou explicar. Foram tantos artigos que perdi a conta quando escrevi sobre a bombástica Vestimenta imposta pela UEB. Se alguns reclamam um grande número aplaude. Eu Velho Chefe Escoteiro não me contenho. Se que alguns tem vontade de me mandar sumir. Pois é, a vestimenta não aparece como sinônimo de farda no Google. Mas sendo veste pode ser irmã do Traje. Bem isto importa? Porque volto na mesma tecla? Vou explicar – Centenas de comentários, centenas de curtidas e dezenas de compartilhamento quando displicentemente comentei sobre a confecção e o tecido da vestimenta que estava desbotando. E quem disse que ninguém se importava? Sei que muitos não estavam satisfeitos. Os comentários foram unânimes. Ai me perguntei: - Mas ninguém reclama? A UEB e sua Loja não tomam conhecimento? Que raios de direção é esta que vende e finge não saber de nada?

               Não sei se é verdade, mas se for o moço da loja é um perfeito idiota ou acha que os seus clientes também são. - “É a reação química do suor com o sol que desbota a camisa” disse ele. Não confirmo. Contaram-me. A Loja deve estar indo bem. Enquanto a maioria do comercio fecha as portas e demite a loja já tem mais de nove funcionários. Bem afinal são mais de 80.000 clientes cativos sem direito a reclamar. Vejo o estrago que esta vestimenta está fazendo aos olhos do publico. Os defensores dizem que tem norma aprovando, outros dizem que gostam e os mais abençoados por Deus trocando de vestimenta a cada seis meses. Um amigo me perguntou se alguém procurou o PROCON para reclamar. Não dizem que é um órgão de defesa do consumidor? Risos. Pago para ver. Outro dia li que só em uma Comissão de Ética de um estado tem mais de trinta chefes sendo julgados. Deus do céu! Que medo! Que boquinha é esta que vão perder?

               A mulher de Cesar não basta ser honesta. Tem de parecer honesta! – Traduzindo a apresentação pessoal do Escoteiro não pode ter imitações ou mesmo se sujeitar a uma apresentação que não condiz com a realidade de uma sociedade como a nossa. É de doer ver tantos chefes mal uniformizados, ou melhor, vestimentados. Agora se ele virou cinzento, descosturado, perde a cor ninguém pode reclamar a não ser no seu grupo é de enlouquecer. E olhe tem alguns que insistem em defender o indefensável. Um Chefe me disse que já tentaram me levar para o Conselho de Ética muitas vezes. – Mas amigo, não tenho registro! Estou Velho demais para entrar nesta fria de megalomania de gente que não tem o que fazer! Vão acampar, vão pegar estrelas no céu, vão fazer um ninho de águia e sem estar de julgar um Salomão de araque! Sorri e bati três vezes no meu bastão na forquilha dizendo: “Pé de Pato mangalô três vezes!”. Posso contar uma história? Urra! Eu juro palavra de Escoteiro que é verdade.

               No meu tempo (lá vem o paspalho do Velho Escoteiro com suas patacoadas) risos. Mas no meu tempo uniforme era coisa séria. Não se vestia sem promessa. O Chefe não cansava de repetir ou você está ou não está. Não tem meio termo. A gente orgulhava no dia da Promessa que o Chefe colocava o distintivo de noviço, vinha o Chefe do Grupo com o lenço e o monitor com distintivo de patrulha. Caramba! Que orgulho. E o abraço? E o aperto de mão? E o grito de patrulha com todas ao mesmo tempo? Três meses esperando por este dia. Agora sim se pensava, agora eu não estou mais Escoteiro. Eu sou Escoteiro. Um tempo que chegar à sede mal uniformizado não tinha conversa. Vá para casa. Volte quando estiver digno em sua apresentação pessoal. Hoje? Amigos chefes alguns de vocês tem culpa. Não tem aqueles que guardam o uniforme na sede? E aqueles que só colocam o lenço? Estamos virando uma terra de ninguém. Repetir que não temos apoio, não somos reconhecidos como um movimento sério de educação. Como podemos nos apresentar em público assim?

                De uma ideia até palatável, quando se discutiu a unificação dos uniformes no Brasil houve aplausos. Agora o que temos? Tecido de segunda qualidade, confecção péssima. Preço acima das possibilidades de muitos. E B-P fez o escotismo mais para os humildes. Hoje? Nem pensar. A apresentação deixa a desejar. Será que os chefes não se preocupam mais com o garbo? Com a apresentação? Têm-se um uniforme para usar uma vez por semana e lá estão todos de camiseta, chefes com o lenço no pescoço e mais nada. – Por um lenço agora é ser Escoteiro? Os exemplos vem de cima. Em cursos de formação não se exige, cada um veste o que quer. O que ele vai pensar se os lideres não dão exemplo? Não existe mais as inspeções gerais nas tropas e alcateias? Passamos ao largo na apresentação pessoal? Uma justificativa que não me convence. Gostaria de ver um instituto de pesquisa junto ao publico o que ele pensa de nós.

                  Enquanto isto quem pode vai trocando sua vestimenta. A UEB e sua Loja adorando, pois as vendas só aumentam. E sabe o que me contaram? Nas autorizações provisórias os donos do poder local dizem maravilhas da vestimenta e condenam o uniforme caqui. Falam até em deixar que cada um vote para escolher. Cada um quem cara pálida? Se o grupo está começando quem vai votar? A diretoria? Alguns chefes? E os meninos que ainda não estão presentes? Não adianta repetir a frase do Chefe Italiano que jocosamente me perguntou se os chefes usam seu direito e o código de defesa do consumidor. E quem se habilita? Difícil isto acontecer. Na calada da noite tem advertências, ameaças e alguns dizendo que se não está satisfeito peça prá sair. São gente da pior espécie que se acham escoteiros e que tratam seus voluntários com empregados e não com gente de bem. Por isto mesmo a uma debandada geral.

                  Não entendo bem os novos voluntários. Aceitam tudo em nome de uma disciplina que encanta quem participa. Não posso reclamar? Discordar? – Não chefe, se não concorda peça demissão. Dizer o que? O direito de discordar de falar de dizer o que pensa é inalienável. Eu não fiz a promessa brincando. Levo a sério o escotismo que faço. Errar é humano, mas persistir é burrice. Não tenho intenção de ofender ninguém. Meu único objetivo é ver um escotismo forte, unido em torno de um ideal democrático e cada um tenha seus direitos respeitados.

Desbotou? Descosturou? Calma – “É a reação química do suor com o sol que desbota a camisa”. E vá dormir com um barulho destes!