HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Será que vale a pena ser herói?


Conversa ao pé do fogo.
Será que vale a pena ser herói?

                Onde eles andam? Alguém sabe me dizer quem são? Antes eu sabia, mas será que hoje ainda falam sobre eles? Em nosso país é notório o esquecimento. Lembro quando menino na escola era obrigação de sabermos quem foram eles. Claro, nem todos. Dizem que os heróis só alcançaram a fama, o estrelado mostrando seus pontos fortes e esperança de um futuro melhor. Dizem que os heróis surgem em tempos difíceis quando as oportunidades aparecem, outros dizem que os heróis não se fazem, já nascem assim. Não sei se Caio Vianna Martins mudou a história escoteira com suas palavras. Quem o conheceu nunca diria que um dia ele seria um Herói. Poderia ver na história brasileira heróis que se fizeram. Dandara no Brasil, quem já ouviu falar? A Esposa do Zumbi dos Palmares foi uma guerreira feroz e brava defensora de um quilombo. Maria Quitéria disfarçou-se de homem para lutar na guerra da independência brasileira. Aracy de Carvalho Guimarães Rosa, única brasileira homenageada no Museu do Holocausto.

            Quem por acaso já ouviu falar delas? Ou de Heitor Villa-Lobos, maestro e compositor famoso, ou Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes? E finalmente Alberto Santos Dumont. Claro todos já leram sobre ele e seus feitos. Eu aprendi que nós controlamos nossa atitude ou será que é ela quem nos controla? Heróis são as pessoas que fazem o que tem de ser feito, quando tem de ser feito, independente das consequências. Encontrei tudo isto em Caio Vianna Martins, em Baden-Powell apesar deste último não ser brasileiro. Mas imaginem. Estamos esquecendo nossos heróis. Nas escolas quase não se fala neles. Nossas grandes personalidades do passado. Duque de Caxias, Carlos Chagas, Monteiro Lobato, Carlos Drummond de Andrade, Visconde de Mauá, Machado de Assis, José Bonifácio, Marechal Rondon, Raposo Tavares, Os irmãos Vilas-Boas, Orlando, Claudio e Leonardo grandes sertanistas, Pedro II, Rui Barbosa, e poderia ir por aí em uma lista enorme. E eu pergunto, será que nossos jovens sabe quem são e o que fizeram?

           Interessante é que temos tantos a levantarem hipóteses da vida de cada um, muitos denegrindo sua imagem. Sei de jovens que duvidam de Tiradentes, de Dom Pedro II e olhe já vi um comentando que Caio Vianna Martins foi uma farsa. E aquele que procura desinformar tudo que lê por aí da vida de Baden Powell? Um me disse que ele era gay, outro me disse que ele era maçom e cheio de trelelê. E daí? Porque isto? Irá trazer benefícios ao nosso movimento? Aos nossos jovens? Teve um que me disse que era um milico, mandão, dono da verdade e não sabia ouvir ninguém. Fazia do escotismo seu exército disciplinado particular. Deus do céu! Porque isto? Qual o intuito? Será que não podemos referenciar nossos heróis? Será que não podemos dar exemplo deles aos nossos jovens?

            Enquanto em outros países eles são elevados como figuras mais importantes da nação, são discutidos e apresentados como homens exemplares e todos se orgulham deles aqui não. Aqui muitos admiram e já ouviram falar de John Kenedy, Abraham Lincoln, John Lennon e tantas outras personagens que são heróis em outros países. Falam mal de Santo Dumont que bebia e fez seu primeiro voo embriagado. Dizem que Tiradentes foi uma farsa inventada. Dizem que o Aleijadinho nunca existiu. Porque isto? Francamente acredito que estamos perdendo nossa identidade. Admiramos o que vem de fora. Muitos já nem dizem que são escoteiros, agora são Scout. Nomes de patrulhas em inglês aparece aqui e ali. Quando procuram alguma personalidade ou locais históricos para nomear alguma Patrulha Sênior, só aparece nomes estrangeiros.


            Estamos mesmo perdendo nossa memória. Somos reconhecidos pelo carnaval e escola de samba. Os gringos vem aqui para ver o que não tem em seus países. Mulheres em trajes menores e sensuais desfilando. Ainda bem que estão voltando os blocos de rua. O verdadeiro carnaval está aí. Chega de nota Deeéz! Não sei se o programa de jovens da UEB fala sobre isto. Não sei. Até nosso hino Nacional e o hino da Bandeira são poucos escoteiros que sabem cantar com carinho e corretamente. Falar no Hino Alerta então? Antes você só seria um segunda ou Primeira Classe se soubesse cantar todos eles e olhe de cor! Melhor parar por aqui. Este seria um fato. Um fato real. Ainda tem volta. Pouca mas tem. Compete a nós Escotista dar uma volta na história brasileira e mostrar aos nossos jovens que sim, nós temos heróis!