HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

terça-feira, 5 de abril de 2016

Até quando? A vestimenta está desbotando?


Até quando?
A vestimenta está desbotando?

            Seria um título maroto? Pode até ser, mas ontem eu publiquei em minhas três paginas seis grupos mais a Fanpage um artigo perguntando se a vestimenta estava mesmo se desbotando rapidamente. As respostas não demoraram. Dezenas e dezenas delas. – Sim Chefe, desbota e a confecção deixa a desejar! – Bem eu sabia disto por isto perguntei, pois não vi ninguém reclamando dos seus direitos de consumidor. Não é por que o Escoteiro é obediente e disciplinado que ele deve se calar em seus direitos. Se A União dos Escoteiros do Brasil não perguntou e nem consultou a ninguém se deveria confeccionar um novo uniforme, se ela escondeu em quanto pode sua criação e se ela em uma espetacular lance de apresentação em uma Assembleia nacional apresentou sua cria, acredito que encheu de inveja os famosos estilistas do Faschion Week. Foi deverás sensacional. Deixou embasbacados os presentes.

            Com sua nova criação criou normas, estilos, tudo através de um truste onde somente ela tinha o monopólio da confecção, postos de venda para mais de 75.000 membros escoteiros, considerados clientes cativos. Impôs seu preço de mercado, e deu uma liberdade de escolha de estilos e peças as unidades locais para decidir se ficariam com o Velho caqui ou escolher sua nova invenção. Liberdade que não deu quando decidiu entre quatro paredes o que seria como seria e a distribuição para seu publico Escoteiro agora cativo. Assim ela sabia de antemão que em pouco tempo mais de noventa por cento do seu efetivo nacional iria sem sombra de duvida aderir à nova moda, pois nossa juventude hoje em suas andanças gosta de coisas novas, quer escolher e decidir, mas neste caso não decidiu nada. Alguém mais poderoso decidiu por ela.

              Fico pensando como os associados da UEB aceitam sem reclamar. Ninguém em sã consciência da disciplina escoteira iria levar seus direitos do consumidor aos responsáveis pela venda. Se fosse feito uma pesquisa veríamos que uma grande maioria não estava satisfeito com a confecção com o material e com o preço absurdo para os que recebem alguns salários mínimos. Mas cada um prefere se calar e não ir à fonte responsável como se nós escoteiros temos que ser obediente e disciplinado e nossos direitos de cidadãos estão restritos nos Estatutos e normas impostas pela Associação. Pagou-se por cada peça. Acreditou-se que elas iriam dar uma nova visibilidade ao escotismo brasileiro. O que aconteceu? Muitos só vestem quando formados na bandeira ou em ocasiões especiais para não perder a cor e não estragar rapidamente. Logo vestem uma camiseta, colocam seu lenço e já acostumaram assim a se mostrar como uniformizados para a comunidade que assiste nossas poucas andanças pelas ruas e trilhas feitas nas atividades aventureiras que deveria ser uma constante.

                   Outros mais abastados fazem novas compras, nem reclamam do pouco tempo de uso que agora aposentou para quem sabe ser uma segunda via nos acampamentos que vierem a se realizados. Porque ninguém reclama? Não têm direitos? Só deveres? Eu sei que infelizmente as admoestações de muitos dirigentes se aproveitam da subserviência de alguns que não querem entrar em tais discussões. Enquanto isto os responsáveis pela distribuição e venda vão se aproveitando da boa fé, da disciplina daqueles que acreditam em não revidar e não reclamar. Sempre tem os politicamente corretos a defender tais desmandos. Sempre com uma explicação e eu sei que muitos destes aproveitam para falar em palavras simples a velha e boa frase: Se não está satisfeito peça para sair.

                      Não vou me alongar mais. Não adianta. A Associação aproveita das benesses da calma e disciplina dos seus voluntários, faz e desfaz em seus desmandos e nunca em tempo algum se dignou a consultar, perguntar, pesquisar para onde queremos ir ou qual associação queremos ter. Os Politicamente corretos sempre com a resposta a mão. Assembleias senhores. Lá é o local certo para apresentar suas insatisfações e petições! Só rindo. Quem acredita mesmo nisto? Os incautos talvez. Ligue para o responsável pela loja, diga a ele se pretendem fazer um Recall. (convocação por parte de fabricante ou distribuidor para que determinado produto lhe seja levado de volta para substituição ou reparo de possíveis ou reais defeitos). Acho que a resposta ninguém irá gostar. Isto não está nem sendo cogitado. Que cada um fique com o que tem e se quiser compre um novo, afinal agora existe uma promoção de dar como desconto 20% na compra da vestimenta.


                    Termino por aqui. Se você é um daqueles cuja vestimenta está desbotando, se está descosturando ou mesmo se rasgou por não ser o melhor tecido que acreditava que fosse, calma, não se irrite. Aceite de bom grado, pois é este o escotismo que a UEB oferece aos seus associados. – E deixe de pagar a mensalidade anual, irá perder todos os direitos que poderia ter. Mas que direitos são estes?