HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Aleluia! O escotismo Brasileiro tem salvação?


Crônicas de um Velho Chefe Escoteiro.
Aleluia! O escotismo Brasileiro tem salvação?

                         Claro que sim. Tem muitos politicamente corretos escoteiros que se comprazem a ficar nas muralhas da sede nacional segurando um Laptop ou um Smartphone tentando defender a União dos Escoteiros do Brasil em tudo que ela faz, age e determina. Para estes politicamente corretos devemos ser disciplinados e obedecer sem discussão às normas da nossa associação. Quando perguntados quem produziu estas normas eles só respondem que somos um movimento com regulamentação estatutária e lá as normas estão à disposição de todos. Quando perguntados quem fez estes estatutos eles respondem que o órgão máximo do escotismo brasileiro. Quando perguntados que órgão é este eles dizem que está nos estatutos. Bem ficamos assim sem saber quem começou primeiro o ovo ou a galinha.

                           Estes estatutos feito e aprovado por menos de 0,2% do efetivo adulto Escoteiro, sempre são conduzidos por interesse de um ou outro e modificado quando um dos órgãos diretivos assim o decidir. Haja visto que na última Assembleia Nacional ele que seria discutido e aprovado foi novamente adiado. Motivo? Melhor perguntar a um participante ativo da UEB. Tem desculpas para tudo. Tivemos nesta Assembleia a eleição de novos membros do CAN. Repito eleições com menos de 0,2% de votantes representando o escotismo nacional. Posso dizer que desde que este Congresso/Assembleia decidiu levar a sede nacional para Curitiba, enormes mudanças aconteceram no escotismo brasileiro. Dizer que todas as mudanças realizadas nunca tiveram a participação de boa parte de nossos associados é repetir o obvio. Em tempo algum deram a chance de nos consultar, fazer uma discussão nacional, deixar as unidades locais sugerir, pois elas são a razão de ser do escotismo.

                          De tudo que modificaram, seja o programa, seja os símbolos escoteiros, sejam o sistema de progressão o pior de tudo foi à imposição de um uniforme que chamam de vestimenta. Artigos meus já comentaram a “festa surpresa” em uma Assembleia realizada no norte do país. Daí para frente se fizeram de vestal, “deixaram” que cada unidade local escolhesse se seria o caqui ou a vestimenta. Democráticos não? Como muitos Grupos Escoteiros usavam o traje, claro que não sabendo a verdadeira história da imposição da vestimenta, cuja decisão foi de poucos dirigentes e que ninguém foi consultado, nada como sorrir pela esperteza dos nossos lideres. Sabiam que boa parte dos que usavam o traje iriam se decidir pela vestimenta. Comentar sobre a democracia na maioria dos grupos que resolveram mudar é uma piada. Sei de muitos que levaram a sério, mas a maioria da pena em saber como foi à decisão.

                         Mas isto já é fato acontecido. Eu quase desisti de mostrar como funciona a ditadura escoteira imposta pelos nossos dirigentes. Uma ditadura que escondida em uma disciplina imposta, quase sem direitos, se transformou em cadeia de exemplos até chegar ao Grupo Escoteiro. Muitos ainda se dizem democráticos, mas aplicam uma ditadura enorme na condução de suas unidades locais. Eu nunca me senti satisfeito com isto. Muitos valentes dirigentes me disseram para sair e sair de onde? Não tenho registro na UEB para me preservar das admoestações e ameaças. Claro que nunca irei escolher outra organização. Sou UEB como dizem por aí de corpo e alma. Lembro que meu Akelá dizia que pertencíamos a UEB União dos Escoteiros do Brasil e que ela era nossa dirigente máxima a quem devíamos obediência.

                        Sabiamente na década de setenta introduziram na promessa, promessa baseada na Lei escrita por BP, modificando o que ele nos deixou: – “E servir a União dos Escoteiros do Brasil”. Servir? Achei que era o contrário. Mas por que isto? Na época perguntei, mas a arrogância dos lideres me deixaram sem resposta. E assim o escotismo foi aos poucos subjugado nas suas liberdades em nome de uma meia dúzia que introduziram a bel prazer a tal de democracia representativa. Isto me lembra do Congresso Nacional do Povo Chinês. Milhares que não decidem nada. Estou me divertindo hoje demais com estes deboches, com esta pantominas e como ainda os lideres se mantem no poder. Novos estão chegando, mas os antigos ditam ainda as normas. Mudanças são prometidas, mas nunca cumpridas.

                        E eis que alguns deles resolveram mostrar que são democráticos. Sempre no SIGUE dizem que agora irão fazer consultas. Já fizeram do POR, dos Estatutos e Até mesmo o porquê muitos voluntários, principalmente os antigos não fizeram seus registros nos anos anteriores. Agora estão a pedir opiniões sobe a Vestimenta. Os resultados destas pesquisas nunca foram mostradas as claras. Isto parece piada, mas não é. Nem mesmo o respeito aos associados eles tem depois que fizeram sem nenhuma consulta, e impuseram a toda a comunidade escoteira. Pesquisa? Opinião? Será que lá não tem nenhum profissional que entende de um pouco de pesquisas de opinião e estudos de mercado, dentre outros para fazer uma pesquisa de opinião de verdade? Porque não pedem a ajuda de algum membro associativo quem sabe ele não só estudou ou já trabalhou ou ainda trabalha para o IBOPE, o Data Folha dentre outros Institutos para ajudar.

                         Estou vendo agora o que aconteceu com a Delegação Brasileira que foi ao Jamboree do Japão. De novo no afã de aumentar o caixa aprontaram de novo. Aconselho aos meus amigos entrarem na página do Chefe Ricardo Machado (https://www.facebook.com/machricardo) e ler o que lá está. Nunca vi tanto absurdo. Aproveitem também para ler o que diz o responsável pela delegação. Da vontade de rir se não fosse tão triste. Se quiserem saber mais, passem algumas horas no Blog Café Mateiro. (https://cafemateiro.wordpress.com/). Lá vocês encontrarão muitos artigos importantes do que faz e como age os dirigentes escoteiros do Brasil. Agora como podemos confiar em nosso lideres que procedem sem transparência? Existem até duvidas importantes do Caixa da UEB. Prestação de Contas? Sei não, eu não entendo disto, mas no blog ele é sucinto. Há anos que cobro a prestação de contas do Jamboree no Rio de Janeiro. Isto porque vi tantas empresas fazendo seu marketing que deduzi que nada ali era de graça. Deu lucro? A taxa cobrada foi cara ou barata?


                         Mas sei que pouca coisa vai acontecer no futuro. Ainda somos seguidores de Baden-Powell e acreditamos em tudo que os lideres de hoje falam em seu nome. Temos um órgão que poderia dar aos novos voluntários uma noção de democracia e não o faz. Os Formadores se transformaram em uma casta, quem entra não quer sair. Sabem que sempre existem centenas fazendo das tripas o coração para estar lá. Queira ou não o sonho das duas contas não basta. Correr atrás da terceira e da quarta é uma apoteose. Com esta politica dificilmente teremos oportunidade de ver um escotismo democrático. Com a saída dos mais antigos a UEB bate palmas. Os novos são mais cordatos, mais participativos e sabemos que tudo neste mundo é um hábito de comportamento. Aprendemos com o que nos ensinam. E durma-se com um barulho destes.