HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Continência a autoridade Escoteira!


Continência a autoridade Escoteira!

         Eu devia enfiar a viola no saco e subir em uma montanha para cantar: -    ”Guarda tuas mágoas bem no fundo do Bornal, e sorri, sorri, sorri. O que importa é vencer o mal mantém sua alegria”! Nem sei se ainda tenho minha viola e nem lembro como fazer as duas posições que aprendi para acompanhar as musicas escoteiras que gostava de cantar. Mas minha garganta coça e agora deu para tossir sem parar. E quando vejo “pataquadas” dos dirigentes escoteiros ou até mesmo dos politicamente corretos da EB fico coçando sem parar. Lembro-me quando estava trabalhando na Usiminas lá pelos idos de 1962 e surgiu uma epidemia de coceira que pelo que saiba ninguém escapou. Estou tentando lembrar o nome, mas nada vem na memória.

         Mas voltando aos finalmente ando coçando demais. Por quê? - Uma semana atrás li aqui algum que nunca pensei em ler. Um Chefe pedindo desculpas aos dirigentes ou quem sabe aos seus superiores hierárquicos no Grupo ou Distrito. Dizia ele que alguém postou na sua página um artigo ou comentário e os donos do poder não gostaram e pegaram no “seu pé” sem dó e sem piedade. Pelo que ele escreveu diziam até expulsá-lo do movimento ou mesmo não deixá-lo mais fazer escotismo. Ele um Chefe simples e humilde disse que não poderia sair do movimento, amava e adorava o que fazia, não queria deixar seus jovens órfãos. Pedia perdão e que eles o deixassem fazer o que gosta de fazer. Sair do Escotismo seria o seu fim.

          Pelas barbas do profeta! Isto foi demais. Eu sempre o via lendo meus escritos, até mesmo vez ou outra comentava. Desde aquele dia que ele pediu desculpas nunca mais o vi comentando ou curtindo. Eu não sou bem quisto por estes chefões que nem fazer um nó de Polaco sabem fazer. Não sei se tive culpa no cartório e se tivesse iria correr até ele e dizer: - Vamos juntos gritar aos quatro ventos que o escotismo não tem dono? Que estes “sacripantas” que o admoestaram não valem nada? Não tem nada de escoteiro? Que tal “pegar” um bom advogado e processar a cada um? – Deixei pra lá. Eu sei que isto acontece muitas vezes por semana por uns marginais que se dizem escoteiros, fazendo ameaças, admoestando, e prometendo fazer da vida do Chefe um inferno.

           Estes delinquentes que se acham dono da verdade, que não tem espírito escoteiro, que não respeitam outro ser humano eles sim é que deveriam ser expulsos, afastados do Escotismo. Afinal temos uma lei linda, que adoro e faço questão de fazer o melhor possível para cumprir. Será que eles leram o livro que George Orwell escreveu em 1949 a sua distopia futurista com o título de “1984”? Será que Winston o herói de “1984” não poderia nos dar uma lição sobre a essência nefasta de qualquer forma de poder totalitário? Afinal estamos falando do escotismo moderno, democrático ou da engrenagem totalitária de uma sociedade completamente dominada pelo estado onde tudo é feito coletivamente, mas cada qual vive sozinho? Será que nesta sociedade ninguém escapa a vigilância do “Grande Irmão” um poder cínico e cruel que vigia a todos? Será que no final nosso Herói Winston entende que ali só o poder interessa, onde quem vive sem riqueza e nem luxo tem vida curta e sem felicidade?

            Bem sei que muitos politicamente corretos irão correr para dizer que isto não acontece. Não? Passou despercebido o pedido de perdão do Chefe nas páginas do Facebook? E não foi o único. Já vi inúmeros casos. Perdi a conta de relatos recebidos no meu e-mail com muitos desistindo da União dos Escoteiros do Brasil. E nem me venham dizer que somos todos irmãos fraternos. Alguns sim, mas tem estes “sacripantas imbecís” que se julgam melhor que os outros, acham que tem os poderes de Salomão, mas o usam como se estivessem no tempo da Inquisição com poderes absolutos. Pobre escotismo moderno. A sede do poder corrói o que temos de melhor que é a essência da amizade da formação moral, da filosofia Badeniana que por muitos anos se sobressaiu nas lides da educação escoteira.

             É por isto que não tenho registro. Meu escotismo é outro e não tenho nenhuma ligação com Grupos, distritos e o escambal. Não sou exemplo, pois queira ou não os que participam diretamente nas Unidades Locais não tem como fugir do registro. Cada um sabe onde o sapato aperta. Afinal a EB diz que ela é a “dona” do escotismo no Brasil. Ela não respeita outras associações que se formaram por não acreditar mais no escotismo Uebeano. Se o chefe que postou tal comunicado estiver lendo este artigo ficaria eternamente grato se me enviasse um e-mail contando como tudo aconteceu. Fico na minha, não vou discutir mais a subserviência que hoje se vê no escotismo. Não era assim, no passado havia respeito de ambas as partes – Chefes e Dirigentes. Mas é assim que a EB quer. Gente que obedece sem reclamar!
E chega por hoje.
Sempre Alerta

Chefe Osvaldo