HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

COMO FAZER UM PLANEJAMENTO ANUAL


Reflexões de um Velho Lobo

 05 - COMO FAZER UM PLANEJAMENTO ANUAL

Em primeiro lugar vamos conceituar o termo Planejamento, diferenciando-o do termo Programa, identificando as suas diferenças fundamentais.
Planejamento – Atividades que o Grupo Escoteiro deverá realizar ou participar durante o ano escoteiro.

Programa – Composição das atividades (reuniões, adestramentos, jogos, acampamentos, reuniões especiais etc. etc.) detalhadas, determinando conteúdo, local, horário, responsável etc. que levarão os jovens a cumprir suas metas, progredindo tecnicamente e espiritualmente dentro do Programa de Jovens, no seu ramo.

Visto isto, apresentamos uma forma de elaborarmos o Planejamento Anual de um Grupo Escoteiro sem despendermos muito tempo de uma só vez, adotando o seguinte roteiro:

A Diretoria, de posse do Planejamento Nacional, Regional e do Distrito Escoteiro, datas Cívicas e Festejos do Grupo, montam um “esqueleto” do Planejamento Anual, colocando as datas que o Grupo irá participar como, por exemplo, a Semana Mundial do Escoteiro, Acampamento Geral, Semana da Pátria, aniversário do Grupo, Dia da Bandeira, Dia do Município e outros eventos tradicionais do Grupo. Em seguida, tiram-se cópias deste “esqueleto” e entrega-se à Chefia de todas as seções.

Com este Planejamento simplificado em mãos, os Escotistas das seções se reúnem com seus Monitores/Primos em dia, local e hora que mais lhes convierem e elaboram o Planejamento de sua seção, cujas atividades são confirmadas através dos diagnósticos feitos pelas Rocas de Conselho, Conselhos de Patrulhas e tropas, no final de cada Ciclo apresentando as atividades para montar os Ciclos de Programa, escolhidas no Jogo Democrático (acampamento, excursões e outras atividades), ajustando o planejamento durante o ano.

Inclusive não há necessidade de determinar locais (se ainda não os tiverem) dos eventos maiores, acampamentos/acantonamentos, ficando este detalhe para a ação que deverá ser desenvolvida três meses antes de um evento, baseando-se no ADD (antes, durante e depois) de cada atividade.

Feito este trabalho inicial, promove-se uma reunião conjunta (Indaba de Grupo) no qual todas as seções montam o Planejamento Anual do Grupo, acertando datas comuns como, por exemplo, as passagens de Ramo, Boas Ações coletivas, e outras atividades que serão realizadas em conjunto por algumas seções ou por todo o Grupo Escoteiro.

Estará feito o Planejamento Anual do Grupo Escoteiro, respeitando-se as modificações que certamente ocorrerão na implementação do Programa de Jovens, levando-se em conta o desenvolvimento pessoal de cada membro, suas propostas, e os Ciclos de Programa.

A seguir, reúnem-se novamente por seção, podendo ser em outro dia, e cada uma, baseados em suas necessidades em completarem os Ciclos, montam os Programas de Reuniões, de Acampamentos/Acantonamentos, de Excursões, visitas etc.. Não devendo ultrapassar o período dos Ciclos de Programa, pois neste período de tempo devem ser feitas avaliações do progresso dos jovens da seção, sendo então, proposto o Programa do próximo Ciclo, sempre orientado pela consulta aos jovens daquela seção.

Os ingredientes destes Programas devem ser progressivos, atraentes e variados, motivando-os a prosseguirem no Escotismo, e com isso, vivenciando a Promessa e a Lei Escoteira através das atividades realizadas.
Qualquer Planejamento deve ser avaliado periodicamente, levando-se em conta o grau de interesse dos jovens e adultos e o aproveitamento obtido frente aos objetivos propostos para o Ciclo em andamento.

Naturalmente, não é imperativo terminar o Ciclo para a avaliação, pois se for detectado alguma distorção, esta deve ser corrigida no meio do período.  Ao primeiro sinal de evasão ou apatia de jovens ou mesmo de adultos, procura-se em uma avaliação emergencial, a causa do desinteresse e fazer as alterações necessárias com objetivo de retornar ao caminho do entusiasmo e motivação.

O Planejamento Anual deve ser seguido o mais exato possível, alterando-se somente em casos de chuvas inesperadas, cancelamento de eventos de terceiros e outros casos de força maior.

Alguns recomendam que a data da montagem do Planejamento Anual deva ser logo no final do ano, mais a prática tem mostrado que é mais fácil no início do ano, quando o Grupo ainda está em férias, e os Ciclos de Programa, logo no início das atividades escoteiras, já com os novos membros que entraram no Grupo.

Gostaria de sugerir um procedimento que pode ser feito, tornando o Indaba de Grupo, um acontecimento familiar e recreativo, de grande aceitação.
Propomos fazer o evento fora da cidade, não muito perto (para não vir dormir em casa) e não muito longe (para não encarecer e perder muito tempo com a viagem) reunindo Escotistas, Dirigentes e seus parentes próximos, em alguma fazenda, clube de férias, casa de campo ou praia.

Normalmente, viaja-se na sexta feira à noite, chegando ao local de madrugada, indo para o alojamento dormir.  No sábado, enquanto as famílias se confraternizam em divertimentos comuns (piscina, campo de futebol, passeios pelos arredores etc.) os Escotistas trabalham avaliando o ano anterior, montando o Planejamento, determinando coordenadores para cada evento geral, escolhendo locais e atividades sociais, financeiras e filantrópicas.

À noite, brinda-se a todos com um evento à fantasia em um jantar festivo, não tendo hora para terminar.  Domingo, já com a missão cumprida, todos se confraternizam em jogos, brincadeiras, passeios e um saboroso churrasco.  Viaja-se de volta para casa no período da tarde.

Desta forma, homenageamos e agradecemos aos familiares que não estão envolvidos diretamente com o Escotismo, mas que, com suas anuências, colaboram de forma marcante, propiciando que seus maridos e esposas participem desta grande família que é o Escotismo!

Elmer S. Pessoa – DCIM  -   janeiro 1980 /2011.
55º MORVAN – Santos/SP