HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

sábado, 3 de dezembro de 2011

PROGRAMAS DE REUNIÕES DE TROPA



"Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que às
 vezes poderíamos ganhar pelo medo de tentar."
Shakespeare

Programas de reuniões de Tropa

Tenho recebido através do Orkut, email e MSN, diversas solicitações de escotistas de diversas partes do país sobre diversos assuntos. Um deles me chamou atenção – Programas para reuniões.

Quando comento o que eu acho a respeito alguns dizem sim, tudo bem e mudam de assunto. Acredito que fazem de uma maneira e esperavam que eu confirmasse o que fazem o que não aconteceu.

Um bom programa de reunião vem de diversas situações que a tropa a patrulha e os monitores, passaram por um adestramento condizente com o Sistema de Patrulhas.

Já vi em diversos cursos escoteiros, dirigentes comentando sobre o tema e muitas vezes ele se torna inviável pela sua apresentação, pois faltou uma experiência que não houve na chefia de tropa. Ele acredita no que lê e transmite de uma maneira simples, tentando dar o melhor aos seus alunos. Claro que é exceção, pois a grande maioria dos adestradores tem bons conhecimentos do tema.

Vejamos o que a maioria dos escotistas hoje em dia realiza:

- Na semana ou no mês, com auxilio de assistentes (ou mesmo só) em casa de um deles, prepararam o programa, um ou vários, determinando as funções de cada um, horários e adestramento progressivo;

- Em um sábado, quase na hora de ir para o Grupo, o escotista corre para preparar um programa, meio sem eira nem beira, somente para ter em mãos e não esquecer o desenrolar da reunião, pois o contrário ele iria se perder e não seria nada bom;

- Sem tempo, ele acredita que é um bom escotista e não precisa de programa. Lá ele improvisa e a garotada se diverte com um “racha” de bola, ou jogos já batidos, mas que fazem sucesso sempre que colocados em ação. No sábado seguinte ele verifica que alguns não vieram e sempre mandam um aviso que se ele não comparecer não pode participar do acampamento (?)

Claro, isto é uma minoria. A grande maioria realiza bons programas dentro do que foi proposto no sistema de patrulhas.

Para que possamos chegar a um bom programa, vários fatores são determinantes (estou comentando sobre tropa escoteira e tropa sênior) e sem eles é impossível atingir o objetivo proposto. Senão vejamos:

- Reunião de patrulha-realizada uma ou duas vezes na reunião de tropa, por 15 a 25 m., onde o monitor e os demais se adestram mutuamente, dentro da expectativa do adestramento progressivo, (sem a presença dos chefes)

- Conselho de Patrulha - Reunião programada pelo monitor, semanalmente, antes ou depois da reunião, onde se discutirá alem de outros assuntos, as sugestões de programas para a chefia, visando o adestramento progressivo, e sugerindo outras atividades extra sede que porventura podem dar mais conhecimentos a patrulha.

Corte de Honra - Realizada uma vez por mês, sob a supervisão de um dos monitores eleito para presidente (vide informações sobre Corte de Honra a parte) e dentre diversos assuntos apresentados, um será obrigatório que é a discussão dos programas de reuniões, já fornecido pelo Conselho de todas as Patrulhas, devidamente escrito pelo escriba  e que juntamente com as demais patrulhas servirão de base para a chefia programar a curto e médio prazo o programa de reunião.

A chefia de posse das sugestões se reunirá em outra data, e ali então serão desenvolvidos os programas, observando sempre as sugestões das patrulhas, mesmo que vão de encontro ao pensamento dos chefes no assunto. Cabe a chefia, tornar possível a realização do programa, ver necessidades de jogos, distribuir horários, ver se existem impossibilidades em algum item, entrar em contato com a patrulha que sugeriu e ver prováveis mudanças.

Quando alguns dos temas acima são colocados pela primeira vez na tropa, haverá é claro muitas falhas. É bom lembrar que eles nunca fizeram isto e precisão aprender a pescar. Tomemos como exemplo que estes jovens tiveram ou tem sua turma no bairro, e se reúnem quase que diariamente, fazendo seus próprios programas e conduzindo seus destinos com auxilio dos pais, da escola da igreja e claro se escoteiro pelo escotismo.
 
Aprender a fazer fazendo, é uma das partes do adestramento escoteiro e talvez um dos principais. Lembro sempre que minha experiência sempre mostrou que as tropas que fazem seu próprio programa, mantém em suas fileiras por mais tempo seus membros e isto diminui a evasão e ajuda em muito no futuro, pois alguns destes jovens, já adultos poderão ser de excelente ajuda para o Grupo Escoteiro.

Sempre bato na mesma tecla, que o escotismo é para os jovens. Os adultos são meros colaboradores e responsáveis pelo desenvolvimento sadio da tropa. Não cabe a eles fazer e mostrar como. Cabe sim deixar fazer e explicar como melhorar. Para isto ele o escotista, tem sua própria patrulha de monitores, onde em reuniões separadas são adestrados e preparados para liderar e colaborar. Ali sim o chefe é quem adestra e supervisiona a patrulha. Acampamentos, atividades e passeios com eles(monitores e subs), fazem do chefe um líder amigo cujos benefícios serão conhecidos em pouco tempo.

Claro, sempre haverá discordâncias e para estas repito sempre – “o importante é o resultado”. Se deu certo, continue o que está fazendo. Mas não deixem de fazer sempre uma pesquisa do porque da saída de um jovem. Se começou com xx e chegou ao fim do ano com pelo menos 70% você está no caminho certo se não, está errado e compete a você escotista achar o erro.

Ainda não houve uma discussão séria sobre a evasão no movimento escoteiro. Cada dirigente seja regional ou nacional comenta o assunto, mas acredita que sob a direção deles tudo vai mudar. Engano. Tudo continua como antes.

Ajude ao movimento e principalmente aos jovens, fazendo bons programas. Dê oportunidade para eles opinarem e fazerem seus próprios programas. Com o tempo verás que o caminho a seguir tem uma trilha simples, e que vai em direção ao sucesso.

Quando me refiro aqui aos meninos, é claro que também se aplica e muito bem as meninas, que por sua natureza são mais conservadoras, e sabem organizar o que querem de uma maneira prática e objetiva.

Sugerimos aqueles que não tenham lido o fascículo Programando o Programa que tomem conhecimento, pois ele também dá enorme ajuda para que entendem melhor a participação do jovem e da patrulha no programa.

Boas atividades!


"O pensamento positivo pode vir naturalmente para alguns, mas
 também pode ser aprendido e cultivado, mude seus pensamentos
 e você mudará seu mundo"
Norman Vicent Peale