HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

MAS AFINAL, O QUE SIGNIFICA SER UM ESCOTISTA?

Amigos, mais um artigo gentilmente cedido pelo Chefe Elmer. Ele é um colaborador deste blog e tudo que escreve tem grande significado.
Agora me mandou um artigo escrito por uma mestra pioneira, Silvia Cristina, que fala com sapiência do que significa ser escotista.
Obrigado ao chefe Elmer e a Mestre Silvia por mais uma importante colaboração ao blog e ao escotismo brasileiro.


MAS AFINAL, O QUE SIGNIFICA SER UM ESCOTISTA?
              Escrito pela Mestra Pioneira Silvia Regina

Todos nós somos os melhores chefes que sabemos ser.... Mas será que não poderemos ser melhores?
Ou, achar que já sabemos todas as verdades, que teremos sempre toda a razão, acharmos sempre que temos as respostas mais corretas não nos transforma em... Dinossauros?  E será que dói reconhecer, com humildade, que precisamos aprender ainda mais?
O chefe, mais do que qualquer outro, tem que guardar dentro dele a maior de todas as habilidades de um ser humano – a de estar sempre pronto a aprender! Ter a disponibilidade para fazer isso, nutre e fortalece os nossos ideais e objetivos.
Reconhecer e tornar-se flexível a essa realidade não enfraquece ou minimiza, mas sim, engrandece e potencializa todos os talentos, na medida em que sempre há novas coisas a descobrir e novos universos para aprender!

Mas quando pensamos o que significa ser um chefe, instintivamente desenhamos uma receita mágica, um retrato perfeito, com características ideais, mesmo sabendo que é impossível alguém atingir todos os parâmetros. Mas quando nos propomos elencar a visão ideal, temos como objetivo de fazer uma rota, com todos os seus detalhes, para que todos os que a trilham, escolham a sua maneira de viajar e levem na sua mochila de valores, os itens mais próximos da sua visão pessoal.

Abaixo, você tem parte das nossas necessidades para o Movimento crescer, dar certo, ajudar os jovens...
Faça as suas escolhas para a sua jornada. Quantos mais itens escolher, maior será a responsabilidade e o peso emocional.
Mas isso, por incrível que pareça, o fará uma melhor pessoa, ainda que lhe dê mais trabalho!
Por isso que você foi escolhido!

·         Ser responsável pelo cumprimento dos objetivos e dos horários das atividades programadas.
·         Incentivar e dar o exemplo de uso correto do uniforme/traje, comportamento e compromissos com o Movimento Escoteiro.
·         Ter a maturidade suficiente para formar e educar os jovens evitando “ser um adulto vestido de criança”, caindo em comportamento e atitudes infantis. Seja discreto.
·         Deve ser capaz de controlar situações e ter bem claro qual é o seu papel como dirigente ou líder educador.
·         Aprender mais a cada dia e não satisfazer-se com o que já sabe. Há sempre algo novo para aprender – jogos, metodologia, técnicas, etc. A expressão “Aprender enquanto viver” está implícito na Promessa Escoteira!
·         Entender a nossa missão no Movimento Escoteiro como dirigentes educadores e não como simples entretecedores.
Sempre estamos num processo de formar seres humanos e o nosso vocabulário, apresentação pessoal, uniforme/traje, atitudes como líder, vícios, manhas e manias, são parte integrante desse processo.
·         Preparar as atividades de forma consciente, com eficiência, qualidade, variedade, com um planejamento básico adequado.
·         Saber adequadamente a metodologia e as características do seu Ramo, para ajudar na organização e no trabalho para atingir as metas propostas.
·         Compartilhar o seu conhecimento e experiências a fim de enriquecer o trabalho da equipe (que é o seu Grupo Escoteiro!) a atingirem os melhores resultados. Não importa aonde é o furo, mas o barco de vocês é o mesmo!
·         Evitar usar o Movimento Escoteiro para seu benefício pessoal ou necessidade de poder e auto-afirmação.
·         Promover a união, a solidariedade e a fraternidade, evitando situações de conflito, discussões infantis e mal-entendidos.
Antes se pergunte se o motivo é justo e justifica a discussão e o desgaste.
·         Organizar a sua unidade de trabalho – etapas de progressão, listas, datas, fichas médicas, plano de trabalho, harmonia dos elementos, para administrar de forma eficiente os recursos da unidade.
·         Liderar com respeito, autoridade, critério e carinho! Evite os gritos e independentemente da idade, respeite o outro!
O respeito é uma rua de mão dupla.
·         Ter iniciativa para organizar as atividades e motivar os envolvidos.
Trabalhar harmoniosamente em equipe e ajudar a torná-la coesa. Evite o personalismo. Procure agir com bom-senso, empenho, efetividade, evitando atitudes arrogantes e petulantes. É complicado trabalhar com os “donos da verdade”!
·         Evite cair em militarismos desnecessários (marcial - falsa liderança). Guarde bem que o nosso fim é educativo e afetivo!
·         (Evite as brincadeiras sem controle que podem terminar em intimidade excessiva, vozes de comando não apropriadas, castigos, batismos e punições, saudações rígidas) que criam um ambiente perigoso e que podem terminar em acidentes lamentáveis.  
·         Meça as conseqüências e os riscos da atividade.
Você é o responsável perante os pais!
·         Avaliar constantemente o trabalho feito, levando em conta que a missão maior de um chefe é ensinar a aprender, é ensinar a ter responsabilidade e ensinar a tomar decisões!
·         Lembre-se das palavras de BP – “Liderança não se impõe! Ela nasce!”

Mestra Pioneira Silvia Cristina C. Carvalho
55º Morvan – Santos/SP - 1995