HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

PORQUE ESTAMOS MUDANDO? (parte I)


Mais um artigo do Chefe Elmer, que dispensa apresentações. DCIM, mais de 50 anos no Escotismo, tem uma ampla visão e opiniões fortes no destino do nosso Movimento Escoteiro.

Agradeço a ele por me dar oportunidade de publicar neste blog seus excelentes artigos.

Chefe Osvaldo


28 - REFLEXÕES DE UM VELHO LOBO

    POR QUE ESTAMOS MUDANDO?  (Parte 1)

Simplesmente porque nossas crianças e jovens também mudaram!
Fácil assim?  Não!  Claro que não!
Por quantas discussões passamos até chegarmos à conclusão que o nosso público alvo não é o mesmo e que sempre evoluiu, desde 1907?
Alguns dirão: - Mas, o Movimento Escoteiro sempre atendeu e obteve resultados positivos usando os mesmos meios... Conseguimos chegar ao objetivo final hoje, da mesma forma que naquele tempo: continuamos formando caráter com a mesma eficiência!
Então, por que estamos mudando e causando tanta polêmica em nosso meio? Alguns, achando que estamos atrasados e com poucas alterações e outros achando que avançamos demais descaracterizando o Escotismo!
Onde você está nesta polêmica que atinge todo o mundo escoteiro?
Na dúvida? Talvez... Como está uma grande parte dos nossos associados!
É só analisarmos alguns detalhes e neles estão também o jovem de hoje.
Hoje em dia, quem deixaria o filho brincar na rua, buscar o pão na padaria a três quarteirões de casa, ir e voltar sozinho da escola, ir de ônibus ao Shopping, deixar dormir na casa de um amigo que não conhece os pais? Acreditem, poderíamos listar mais de mil atividades que se tornaram “proibitivas” nos dias atuais...
Seu Escoteiro de 14 anos faz uma Jornada de 1ª. Classe, sozinho, como fazia antigamente? (Muda-se o nome, mas a Jornada continua sendo a maior aventura da vida de um Escoteiro!).   
Seqüestradores, pedófilos, traficantes, ladrões e outros delinqüentes infestam nossos bairros, mudando nossos hábitos e costumes sem nosso consentimento e trazendo diariamente o terror aos nossos lares, através dos noticiários de jornais e televisão.
Para nos defendermos desses perigos procuramos nos cercar de meios que nem sempre são totalmente eficazes. Graças a Deus temos o Escotismo e devemos apresentá-lo à criança e ao jovem de forma agradável.
Portanto, temos que conhecê-los bem nos dias atuais, fazendo com que através de atividades atraentes, progressivas e variadas (como sempre), estejam sob a nossa proteção, mesmo sem seus conhecimentos.
Os tempos são outros e os jovens, também!
E o que era bom no antigo Escotismo? Simplesmente se joga fora?
De forma nenhuma! O que era bom continua ainda melhor para os dias de hoje!  Então, o que fazer?
Adequamos o programa atualizando-o às necessidades atuais, somando-se às atividades aventureiras “daquela época”!
Ampliamos a prevenção e alteramos certos itens, como por exemplo, acompanhando o jovem na Jornada.
Não se trata de fazermos apenas acampamentos no quintal da sede, que servem muito bem como capacitação para uma aventura maior.
Nada mudou naquilo que sempre existiu de bom e devem ser mantidos. Embora importantes, se fizermos apenas acampamentos, corremos o risco de transmitir uma idéia que somos somente “bons mateiros”, qualidade que os pais não acham imprescindível para a formação de seus filhos nos dias de hoje. Temos que mostrar atividades práticas de interesse geral, atuando na comunidade, próximo às necessidades reais do meio que vivemos, cuidando para que eles estejam preparados para os atuais desafios.
Como já falamos inúmeras vezes, não se trata de substituir atividades tradicionais e sim, somar outras ao nosso programa, direcionando nossa participação em assuntos de momento, em que todos (escoteiros ou não) estão interessados: tóxicos, AIDS, ecologia, desenvolvimento comunitário, preservação da natureza, defesa civil, sustentabilidade e campanhas que estão sendo realizadas a todo o momento.
Apresentar e motivar os jovens a conquista de Especialidades sobre assuntos atuais, sociabilização com crianças e idosos, postura comportamental (de fundamental importância para um concurso ou vestibular e, até um pedido de casamento ao pai da namorada). 
Temos que mostrar que estas preocupações também são nossas e que já estamos atuando positivamente nestas áreas, trabalhando e colaborando nas soluções, além das nossas divertidas aventuras nas excursões e acampamentos, os desafios das escaladas, mergulhos e cavernas. Um número imensurável de atividades maravilhosas que o Movimento Escoteiro nos proporciona!
Muitos, provavelmente, desconhecem esta face do Escotismo...
Basta somar o “Programa Escoteiro” ao “Programa de Jovens” oferecendo atividades desafiantes e aventureiras como sempre fizeram!
Sim, ele está mudando, porem.... continua o mesmo!

Elmer S. Pessoa – DCIM
55º Morvan – Santos/SP - 2011

 
GERAÇÕES  BABY  BOOMER   -  X - Y - Z  -  (2ª. parte)

Agora,  procuraremos fazer uma comparação sobre algumas  características das gerações que o Movimento Escoteiro atendeu e mostrar que o nosso público alvo não é o mesmo e continua mudando, acompanhando a evolução da ciência e tecnologia.
Muitos adultos já não conseguem acompanhar a maioria das novidades e isso faz com que, não se estando no mesmo contexto, perderemos terreno e deixaremos de influenciar positivamente as futuras gerações.
Esse estudo é superficial, mas consegue mostrar que, se não somarmos aos nossos programas novas atitudes, a evasão será ainda maior.
Em contra partida, a recíproca é verdadeira e o mesmo acontecerá se deixarmos de lado as atividades tradicionais, que diferenciam o Escotismo de qualquer outra associação do planeta.
B.P. em sua sabedoria,  disse que  “o Escotismo não é uma organização e sim um movimento, devendo adequar-se aos jovens que pretende atingir”. Buscando exemplos conhecidos vamos apresentar o que segue:

GERAÇÕES:

l  Baby Boomer (entre 50 e 69 anos)
l  X (entre 30 a 49 anos)
l  Y (entre 18 a 29 anos)
l  Z (entre 06 a 17 anos)
A pesquisa apresenta dados sobre a realidade brasileira, no que tange às quatro gerações:
l  Boomers
Nascidos entre 1946 e 1966
ü  características
determinação
gosto por desafios
capacidade de trabalhar em equipe
ü  buscam
dinheiro
férias
ü  objetivo(s) de carreira
carreira exemplar

l  Geração X
Nascidos entre 1967 e 1980
ü  Características
autoconfiança
independência
"alfabetizado digital"
ü  buscam
liberdade como recompensa definitiva
ü  objetivo(s) de carreira
carreiras paralelas,
com vários trabalhos simultâneos

l  Geração Y
 Nascidos entre 1981 e 1999
ü  Características
otimista
tenaz
conhece tecnologia
atenta aos rumos do planeta
ü  buscam
trabalho com significado para sua vida
ü  objetivo(s) de carreira
repertório de habilidades
experiências diversificadas
l  Acontecimentos
Os dois principais acontecimentos que marcaram cada geração 
Geração Y
v   Impeachment do presidente da República (Collor)
v   Morte do piloto Ayrton Senna
Geração Z
v   Atentado de 11 de Setembro de 2001
v   Crise econômica mundial de 2009
Baby Boomer
v  Ida do homem à Lua
v   Ditadura militar
Geração X
v  Morte de Tancredo Neves
v  Diretas já
l  Definição de sucesso –
Todas as gerações passam pelos contextos trabalho, família e estabilidade financeira.
As de maior destaque em cada geração foram: 
Baby Boomer
Ter minha família com saúde, trabalho e perspectiva de trabalho mais interessante, retorno financeiro compensador e amigos bem próximos

Geração X
Ser feliz na vida. Ser feliz no amor, ter uma família estruturada e feliz, ter saúde  e trabalhar com o que gosta e ainda ganhar dinheiro com isso.

Geração Y
Ter prestígio  profissional, estabilidade financeira, relacionamento estável e equilíbrio familiar.

Geração Z
É ter uma família, ser feliz, e estar satisfeito com o seu emprego, com a sua família, e com você mesmo.

l  O  que  o  trabalho   representa
 Em cada uma das quatro gerações pesquisadas, observa-se diferença nos objetivos e no que o trabalho representa.
A frase de maior destaque para cada geração foi: 
Baby Boomer
Uma forma de realização, de cumprimento de uma missão.
Geração X
O trabalho é parte da minha vida; é o lugar onde me sinto útil; onde tenho a oportunidade de produzir e de me relacionar com outras pessoas.
Geração Y
Essência do ser humano, crescimento como ser humano, cultural, intelectual, social, contribuindo para o crescimento social.
Geração Z
Uma forma de adquirir dinheiro e conhecimentos.

l  Símbolos de consumo de cada geração
Baby Boomer
v  TV 
v  Rolex
Geração X
v  Videocassete
v   Computador pessoal
Geração Y
v  Celular que faz tudo, até fala... 
Geração Z
v  Celular, televisão, internet, música. Tudo ao mesmo tempo. Geração multifuncional.
l  Exemplos de representantes de cada geração
Baby Boomer
               Bill Clinton       
Primeiro Boomer a chegar à Casa Branca (EUA).
               Fernando Collor de Mello
Primeiro Boomer a chegar à Presidência da República no Brasil.

l  Geração X
              Barack Obama
Primeiro X a chegar à Casa Branca (EUA).
              Aécio Neves
Primeiro X a chegar ao Governo de Minas Gerais.

l  Geração Y
            Mark Zuckerberg
Primeiro Y a construir a maior rede de mídia social no mundo.
                Giselle Bundchen
Primeira brasileira Y a se tornar ícone no mundo fashion.

l  Geração Z
            Justin Bieber
Primeiro Z a ser lançado como cantor mundial via mídia social (YouTube).
            Malu Magalhães
Primeira brasileira da geração Z a se lançar como cantora via mídia social (em 2007, no MySpace) .

l  O que vem depois da Geração Y
Intensidade é a palavra usada pela professora de Gestão de Pessoas da Trevisan Escola de Negócios Juliana Dutra para definir essa nova geração de profissionais que estão se formando agora.
Para ela, a nova geração tem tudo o que a atual tem, só que de uma maneira mais intensa, porém, mais planejada. “Para eles, o crescimento profissional é visto de uma maneira diferente”, afirma. “Eles acreditam que o aprendizado vem com a prática”, ressalta a professora. (nossa observação:  o “aprender fazendo”,  do Escotismo - 1907).
De acordo com Juliana, que também atua na preparação de educadores para lidar com a nova geração de profissionais, esses jovens querem crescer tanto quanto a Geração “Y”, por isso, se arrisca mais.

l  Conheça a Geração Z, os nativos digitais que moldarão o futuro
Você conhece a “Geração Z” ?
Aposto que sim.
São adolescentes e crianças que nasceram entre meados dos anos 90 do século passado até o início desta década. Eles jamais consultaram uma enciclopédia para fazer uma pesquisa de escola, exceto, talvez, a Wikipédia.

l  Geração Z
ü  Geração Z compreende quem nasceu entre meados dos anos 90 do século passado até o início desta década.
ü  Buscam todos os assuntos no Google. Entendem muito mais de tecnologias do que seus pais e usam todos os tipos de software com o conhecimento de quem nasceu com um chip embutido no cérebro.
ü  Não conhecem a vida antes da internet, redes sociais, smartphones, notebooks, iPhones, iPads e e-books.
l  Com a alma das redes sociais
Por terem nascidos com as novas tecnologias funcionando a todo vapor e criados “dentro” das redes sociais, essa garotada é calculista, prática, imediatista e tem um poder de concentração menor do que das gerações passadas.
Tudo isso deve ser levado em conta quando se fazem um plano de marketing dirigido a esses meninos que, quando chegarem aos 20 anos de idade, serão consumidores tão conscientes como os que têm 30 anos atualmente. Por conta da simulação de jogos sociais como o “Farmville”, a Geração Z praticamente nasceu com tino comercial. Seu mantra poderia ser: “Arrisque menos, mas assuma os riscos certos”.

l  Geração perturbadora
Isso porque, todo adolescente de 13 anos sonha ter 20 (anos), e todos os indivíduos de 30 anos de idade ainda pensam que tem 20.
Acredita-se que os Zers serão a geração de consumidores mais perturbadora da história, por causa de sua natureza heterogênea, assim como a forma como usam a internet e o modo como sua fidelidade à marca tem mais a ver com a forma como descobrem coisas novas, em vez de fazerem sempre as mesmas coisas.
A Geração Z está em franca ascensão e tem tudo para se tornar a mais ágil, volúvel e difícil de ser seduzida.

Obs. Disponibilizamos esse arquivo em Power Point àqueles que o solicitarem.

Rosângela Camargo Alves da Silva – IM
46º Almirante Tamandaré – São Paulo/SP – 2011.




REFLEXÕES  DE  UM  VELHO LOBO
Para elucidar dúvidas:
O comentário "Reflexões de um Velho Lobo", nada tem a ver com o saudoso chefe Benjamim Sodré - o "Velho Lobo" e não tem pretensão alguma de comparação, guardando respeitosamente, as devidas proporções.
O termo é usado pelo fato de, quem tem mais de 50 anos de Movimento Escoteiro, é um "Velho Lobo" reconhecido pela UEB. e que, c/ este tempo de escotismo, adquiri-se alguma experiência... 
Apenas isso, ok?