HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

sábado, 10 de dezembro de 2011

INSIGNIA DA MADEIRA - OBJETIVO DO ESCOTISTA

Ah! Não me diga que concorda comigo! Quando as pessoas concordam comigo, tenho sempre a impressão de que estou errado.




                  INSIGNIA DA MADEIRA – O OBJETIVO DO(A) ESCOTISTA 

Acredito que em cada 100 escotistas, pelo menos boa parte deseja conseguir a Insígnia da Madeira.  Acredita-se que aqueles que a conseguiram, tem maiores conhecimentos e podem estar bem mais preparados na aplicação do método escoteiro.
No entanto, noto que diversos chefes ainda não colocaram como prioridade no seu programa pessoal e no seu futuro como escotista. É importante que cada um se aprimore mais, pois sabemos que nossa maior dificuldade é a aplicação correta do método escoteiro, em todas as sessões, com bons programas e isto vem prejudicando em muito o crescimento quantitativo e qualitativo e conseqüente diminuição da evasão dos nossos jovens. (adultos também)
Estive dando uma olhada no site da UEB, para conhecer e aprender as novas resoluções e tudo o mais que é publicado e levado ao conhecimento dos interessados no Movimento Escoteiro. Queria conhecer como cada um pode atingir esta meta, e as diferenças do que conheci no passado.
Tem muita coisa interessante e aqueles que não tiveram a oportunidade de visitar e clicar em tudo, está perdendo uma boa oportunidade para conhecer melhor nosso órgão máximo, que diferente do passado, mais e mais se organiza para que o escotismo seja forte e tenha um destino promissor em nosso crescimento.
Encontrei uma resolução (não sei se sabem, mas apesar de falar, comentar e escrever e até criticar (sem segundas intenções), não tenho registro na UEB e qualquer outra organização escoteira e há tempos estou afastado das atividades nacionais e pouco conheço dos dirigentes que hoje conduzem o destino do escotismo brasileiro.) Especificando, trata-se das Diretrizes Nacionais para Gestão de Adultos. 36 folhas, em PDF.
Confesso que não gosto muito de burocracia, mas ali tinha tanta coisa interessante que me perdi completamente no conteúdo, (pena que longo e cheio de palavreados que me lembram os ritos processuais - sem ofensa). Acabei não lendo o que deveria ter lido, mas acho que entendi.
No passado, nosso esquema de adestramento de adultos, era bem simples, quem lembra sabe que com três ou quatro cursos, o escotista poderia atingir a meta de ser um Insígnia da Madeira. Mesmo assim, não éramos tanto em nível nacional. Sem ter uma pesquisa confiável, acho que entre 1950 a 1980, teríamos uma media de 5 escotistas para cada 100 em nível nacional. Acredito que hoje, com estas resoluções dos responsáveis pelos cursos, deve haver um número bem maior de escotistas portadores da Insígnia da Madeira.
No entanto, encontrei certas dificuldade em analisar e compreender bem o que se pretende. Claro que ela (a resolução) está cheia de boas intenções, e se for verdade o que se está aplicando na admissão de adultos, estamos caminhando para um escotismo de formação superior, de pessoas que podem trazer muitos benefícios para o movimento. Mas sabemos bem que pelo menos 50% dos Grupos Escoteiros desconhecem esta resolução e não estão nem um pouco preparados para fazer cumprir e quiçá conseguir adultos conforme ali é colocado.
Não entendi bem o objetivo da formação de escotistas visando a Insignia da Madeira, complicado nas suas fases de aplicação, principalmente em regiões afastadas, com poucos escotistas portadores da insígnia, mas acredito que aqueles mais inteligentes que eu devem estar aplicando e colhendo bons resultados.   
Estou a comentar este assunto porque um amigo lá do norte do Brasil, comentou comigo seu desejo de prosseguir nesta trilha, aprimorar mais seus conhecimentos. Atuando como escotista em um Grupo Escoteiro, não sabia quais os passos necessários, pois no passado já havia feito alguns cursos, hoje suprimidos e por um motivo ou outro perdeu os certificados. Consultava-me se eles ainda valeriam, pois a UEB ou a Região Escoteira também não tinha mais os arquivos antigos da extinta Equipe Nacional de Adestramento e isto prejudicaria a continuidade a partir dos cursos realizados.
Fiz o que tinha de fazer, o encaminhei para a UEB através da sua região. Só eles poderiam dizer o que fazer e não sei se só a sua palavra valeria neste caso sem os documentos necessários em mãos. (o que é um erro)
Acredito que como no passado, hoje também todos se preocupam em ter um adestramento (treinamento como diz a UEB) condizente, para desenvolver melhor o método escoteiro, nas suas atividades de Grupo.
Confesso que fiquei preocupado com o que li. Estas diretrizes exigem que se tenha um corpo de adultos especializado para acompanhamento, o que deduzo ser quase impossível em regiões mais afastadas, e quem sabe até em cidades mais credenciadas com Grupos Escoteiros bem formados.
Enfim, se resultados estão sendo alcançados, só tenho que parabenizar.
Mas ainda lembro com saudades de minha primeira Insignia (escoteira) onde fiquei por 8 dias em uma patrulha, acampado, aprendendo a viver em grupo, recebendo treinamento, adestramento, fazendo tudo àquilo que já fazia quando jovem. Ali aprendi como funciona o Método, o Sistema de Patrulhas, a arte de aprender fazendo, como programar o programa e não foi difícil fazer a parte 3 (observação e questionário).
Também vi os resultados, quando dirigia cursos, principalmente a parte 2 da Insígnia, e saber depois que muitos daqueles que ali estiveram ainda permanecem atuando em sessões diversas e poucos, se afastaram do movimento. 
    Hoje não é bem assim. As exigências são outras. Mas insisto que sem uma boa formação escoteira, através dos cursos, nunca iremos atingir uma meta de crescimento, de respeito, de aceitação por parte da sociedade, pois infelizmente ainda somos vistos como um movimento atrasado e ineficaz.
Cabe a cada um de vocês mudarem este estado de coisas. Não é impossível. Programando, pesquisando, estudando, em pouco tempo teremos um número bem razoável de insígnias e o respeito por parte de todos será o que sempre sonhamos sonho este que hoje não se torna realidade.
Procure as autoridades escoteiras do seu grupo, distrito, região ou se necessário a UEB. Apesar de ser um site bem impessoal, no meu ponto de vista e até um pouco autoritário, onde só se lê, (cumpra-se!) não tem uma parte para troca de correspondência, de perguntas, de duvidas, (como tudo mudou nem sei hoje quem é o antigo Diretor Nacional de Adestramento).
Mas tudo isto não é importante, o importante é você, seu adestramento ou treinamento como querem dizer. Você sim é a razão do movimento se manter, de ter a alegria, o sorriso, as lembranças, de andar mesmo em linhas tortas, por isto é você quem deve dar o primeiro passo (se já não o deu).
Se em cada Grupo Escoteiro tivermos pelo menos um Insígnia, um grande passo foi dado. Mas lembre-se, não fique como muitos outros que a alcançaram. Tornaram-se inatingíveis, sem perceber se consideram superiores, acham lindo serem chamados de chefão, e quando participam nas equipes de cursos, se consideram realizados. (e adoram participar de Encontros Nacionais onde poderão ver e serem vistos). Claro, nem todos, só uma pequena parte.  
SUA META, PORTANTO É: – CONSEGUIR A INSIGNIA DA MADEIRA – Isto é muito importante para você e conte comigo no que puder ajudá-lo (a).

"Toda simpatia que não consiste em reconhecida virtude é apenas egoísmo disfarçado." (Samuel Taylor Coleridge)