HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

sábado, 3 de dezembro de 2011

O MOVIMENTO ESCOTEIRO E AS ELEIÇÕES


Amigos leitores do blog

Recebi nesta semana, um artigo do Chefe Elmer, Escotista já bem conhecido no Movimento Escoteiro, por um excelente trabalho realizado em todas as áreas, principalmente no adestramento nacional.
Comunga ele, a minha preocupação nestas eleições e por sermos um movimento apolítico e com as proximidades destas, vê e aconselha com suas experiências, mostrando seu pensamento e comentando o que pensa a respeito, quem sabe, sugerindo para que cada um de nós, usando o livre arbítrio possa tomar decisões mais firmes, visando sempre o crescimento do movimento escoteiro.
Juntamente com meu artigo, logo abaixo, vejo que comungamos com o mesmo pensamento.
Agradeço ao chefe Elmer, por ter dado um enorme passo que pela primeira vez é feito em prol do escotismo Brasileiro.
Chefe Osvaldo

REFLEXÕES DE UM VELHO LOBO:

POR QUE NÃO?


Tendo em vista as eleições que se aproximam e o dever cívico de votar, cumprindo com a nossa obrigação de cidadão, chegou também o momento de pesquisarmos a relação de nomes colocados à nossa disposição, para elegermos.
Como sempre procuramos achar o mais capacitado para nos representar e, não raro, escolhemos errado. Quando descobrimos o erro, às vezes, é irreparável...
O Escotismo é um Movimento Educacional, sem vínculo político partidário, embora seus membros devam ser politizados, procurando dentro de seu entendimento, votar naqueles que melhor representarão os anseios de suas comunidades.
Várias entidades, das mais diversas áreas de atuação, procuram eleger seus membros para, desta forma, garantir e facilitar a realização de seus objetivos.
Nós, do Movimento Escoteiro, temos uma dificuldade muito grande em lidar com esse assunto. Criamos um tabu em torno do tema, bloqueando o que poderia ser um investimento na área de apoio e cooperação. 
Com isso, ficamos sempre a depender de políticos estranhos ao nosso meio, quase mendigando para conseguirmos obter algum apoio que, na realidade, nem é de cunho pessoal e sim, direcionado para um trabalho destinado a própria comunidade.  
Todas as organizações procuram ter seus representantes nas diversas esferas governamentais, garantindo assim, legítimos defensores de seus ideais, conhecedores das idéias e procedimentos que as suas organizações professam.
Tal fato não acontece com o Movimento Escoteiro brasileiro. 
Em vários países, o Escotismo já é representado, defendendo posições coerentes com nossos princípios, cujos benefícios se estendem a toda população. Esses representantes também tem a missão de captarem meios e apoio necessário para facilitar a prática do Escotismo, procurando, como conseqüência, levá-lo a um maior número de jovens.  Para tanto já existe uma organização mundial de Parlamentares que congregam todos os políticos que participam ativamente do Movimento Escoteiro, buscando, em reuniões periódicas, uma linha de ação neste sentido. No Brasil temos a UPE – União Parlamentar Escoteira – que procura expandir essa representatividade, porem esbarra no seu próprio corpo associativo.
Por que não cerramos fileira ao lado dos nossos políticos, elegendo nossos próprios representantes?
Alguém falou que feria a ética, que era aproveitar-se do Escotismo etc.
Se eleitos, quem vai aproveitar de quem? Eles do Escotismo ou o Escotismo deles?
Parece que há uma inversão de atitudes...
Não procuramos eleger candidatos com princípios morais e éticos?
Estes valores são encontrados facilmente nos irmãos de Escotismo. Então, repetimos a pergunta: - Por que não votamos naqueles que já conhecemos?
Vamos procurar encontrar estes princípios em outros se já temos em nossa casa?
Nossa organização não poderia alienar-se a esta realidade e deixar passar a oportunidade de elegermos representantes Escoteiros para a próxima gestão política.
Com este objetivo sugerimos que, dentro do que foi exposto e segundo sua própria convicção política, sufrague nas próximas eleições, candidatos comprometidos com o Movimento Escoteiro e com os valores professados por todos em nossa associação.
Estamos conscientes que esta atitude somente trará benefícios ao cumprimento dos ideais Escoteiros, só que, para tanto, teremos nossos facilitadores para recorrer.
E, notem: Nesta reflexão não indicamos nomes ou partidos, assumindo uma postura condizente com nossos princípios de movimento apolítico e suprapartidário.
Também não somos candidato e nem temos parentes na política.

Sempre Alerta Para Servir!
Elmer S. Pessoa – DCIM
55º Morvan – Santos/SP  -  2010

REFLEXÕES  DE  UM  VELHO LOBO

Para elucidar dúvidas:
O comentário "Reflexões de um Velho Lobo", nada tem a ver com o saudoso chefe Benjamim Sodré - o "Velho Lobo" e não tem pretensão alguma de comparação, guardando respeitosamente, as devidas proporções.