HOTEL ESCOTEIRO

HOTEL ESCOTEIRO
cada foto tem uma história

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

PEQUENAS (BOAS) AÇÕES, GRANDES RESULTADOS


Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com freqüência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.

          Pequenas (Boas) Ações, Grandes Resultados
(desculpem o plágio de grandes empresas pequenos negócios)

Sobre boas ações

Vocês chefes tem lembrando aos jovens sobre boas ações? O que os jovens dizem? Será que isto já é ultrapassado na vida da tropa ou da Alcatéia?
Vejamos – Todas as reuniões, durante a inspeção (ela existe – a inspeção - em sua tropa no inicio e no fim de reunião?) é cobrado de cada escoteiro (a) se realizou boas ações na semana e qual a mais marcante. (confiar nele, pois deve ser lembrado que o escoteiro tem uma só palavra e sua honra vale mais que sua própria vida).
No final da inspeção destacar para todos a melhor e que o escolhido seja ovacionado com uma palma escoteira. (Para não tomar muito tempo, o monitor reúne a patrulha antes da reunião e conversa com cada um sobre a boa ação e a patrulha vota a melhor que será apresentada ao chefe durante a inspeção).
Porque isto? Ora, se desejamos formar jovens para uma perfeita integração na sociedade, para que ele seja capaz tanto de participar como colaborar com todos, nada mais natural que desenvolver nele desde o início o hábito da boa ação.
É importante também a boa ação coletiva da patrulha. Esta deve ser estimulada sua realização pelo menos uma vez por mês. No passado isto era feito antes da reunião. A patrulha se reunia em local determinado (tinha sido planejado durante a semana o que fazer, quando e onde) e desenvolvia uma boa ação que era sempre admirada pelos adultos do bairro, e com isto angariando simpatias, fazendo com que ficássemos mais conhecidos e os escoteiros eram sempre comentados como exemplo. Claro, também não faltava à boa ação da tropa a cada seis meses e a do Grupo Escoteiro anualmente. Vale à pena? Penso que é uma forma de mostrar o Grupo e o Movimento como ele é o que pretende. Isto no passado foi um forma de fazer proselitismo e Marketing e pode também ser no presente. Assunto que abordamos anteriormente.
Lembrem-se que hoje estamos sendo motivo de depreciação por parte de autoridades e da na imprensa, simplesmente porque não estamos presentes. Somos considerados no domínio da Educação, como atrazados e ineficazes. Isto não é verdade, mas como provar ou mostrar o contrário?. Só com atividades escoteiras bem planejadas podemos atingir a meta que mudará tudo a nosso respeito.
 A moeda da boa ação, o nó no lenço, ou no bolso, era motivo de orgulho para nós escoteiros. Ajudar a velhinha a atravessar a rua hoje é motivo de piadas, mas de grande orgulho para nós. Isto desapareceu?, não vale mais? Vocês podem responder.

Sobre a inspeção  

É muito importante e deve ser feita sempre. Comentamos aqui as realizadas em reuniões de sede. (Em acampamentos faremos comentários posteriormente). É nesta hora que podemos elogiar ou mostrar como anda a tropa e verificar se os itens discutidos com os monitores em Corte de Honra funcionam.
Conheci tropas que faziam a inspeção no inicio das reuniões e no final. Para dar uma conotação importante a esta era entregue no sábado seguinte uma bandeirola de eficiência para a patrulha com mais destaque. Motivo de orgulho para a patrulha a bandeirola ficava abaixo do totem de patrulha (no bastão).
Importante não destacar somente uma, e para isto pode haver um padrão de pontos, cujas patrulhas que alcancem a meta recebem a bandeirola.
Deve ser explicado que alem das boas ações serão visto a apresentação,o grito da PT, saco ou caixote dos materiais da patrulha,(limpos e asseados) a participação nas atividades religiosas, notas escolares, enfim tudo que os monitores juntamente com os chefes decidiram em Corte de Honra.
Mas o mais importante é o uniforme. Escoteiro bem uniformizado é sinônimo de uma boa tropa, que esmera no garbo e boa ordem. E um exemplo não só para o Grupo Escoteiro como na comunidade que reside.
Sair de sua casa de uniforme, bem postado (calçado de uma cor só) lenço bem dobrado, camisa bem posta dentro da calça, cabelos penteados (no meu tempo era exigido o pente e um lenço), meiões bem colocados com as frisas corretas, cinto limpo e bem cuidado. Enfim faça do uniforme o exemplo em sua tropa. Lembro que a cobertura (não discuto o chapéu) tem de ser usada por todos. Se não existem, ninguém deve usar. Para isto o Chefe e Assistentes devem dar o exemplo. Os escoteiros e escoteiras, os lobinhos e lobinhas, seniores e guias sempre colocam o chefe como o seu maior amigo e o seguem em tudo.
Vão ver que haverá um ganho no presente e no futuro e todos serão lembrados como exemplo de civilidade, postura e orgulho da comunidade que residem.  Não se vê com bons olhos o Escotista que veste o uniforme na sede antes da reunião.)

Sobre a Promessa

Vamos analisar aqui, somente a promessa das seções escoteiras e seniores. Na alcatéia existem um ritual já programado que comentaremos posteriormente.
Entendo que a Promessa Escoteira sintetiza o embasamento moral do Movimento Escoteiro. No momento da Promessa, os membros do Movimento se comprometem voluntariamente, a se conduzir de acordo com a orientação moral do Movimento, reconhecendo a existência de deveres que tem de serem cumpridos. Os elementos da Promessa Escoteira estão contidos nos Princípios do Movimento Escoteiro.
Muitos grupos já tem uma tradição quanto a esta promessa. Como é feita, quando e onde. Não vamos interferir. Mas estamos vendo ainda promessas em grande escala, feita com muitos noviços, em grande formalidade, com convite de autoridades e uma grande festa!
Não é o caso do programa escoteiro. Deve haver uma individualização para que somente os interessados, no caso a tropa, esteja presente,(pode ser feita também com todo o grupo mas conduzida pelo chefe da seção) e que a preparação do noviço deixe nele uma marca para sempre a ser lembrada.
Acredito ainda que o jovem ou a jovem devem dizer a promessa sozinhos, sem auxilio e para isto devem se preparar antecipadamente.
A entrega do distintivo de promessa é de competência do chefe da seção, o lenço do chefe do grupo, e o distintivo de patrulha (não sei se existem ainda) do monitor.
Ao realizar a promessa, o monitor conduz o noviço (a tropa esta formada em ferradura) até a presença do chefe, e dizendo que o escoteiro tal está preparado. O chefe diz breves palavras e o noviço fica de frente para a tropa (é comum ficar de costas, não concordo mas aceito) e diz a promessa com a saudação correspondente. O Monitor fica ao lado ou atrás. Após, a patrulha o recebe com o grito e todas as patrulhas em seguida também acompanham.
É um dia de alegria e para isto o promessado é convidado para as cerimônias de bandeira, de oração ou outras que são caracteristicas da tropa em reunião.        

Sobre a patrulha de serviço

Sem intervir na tradição do Grupo Escoteiro, é bom que se tenha a patrulha de serviço do dia. Esta é designada pela Corte de Honra, e se as reuniões for com a participação de todos (lobos, escoteiros (as) sênior-guias pioneiros) é preciso manter um esquema geral, feito no Conselho de Chefes.
Compete à patrulha de serviço, limpar a sede durante a semana (será vistoriada e vale para a inspeção diária), preparar as bandeiras, arriar e hastear as mesmas no inicio e fim de reunião.
O que fazer como fazer, e quando fazer, deve ser discutido durante reunião de patrulha ou de alcatéia antes da data (cada um recebe um programa feito durante o inicio do ano onde consta todas as patrulhas, a alcatéia e os pioneiros com datas e nomes).

Sobre o Conselho de Chefes

Nenhum grupo sobrevive sem um bom Conselho de Chefes. Deles participam os Escotistas do Grupo Escoteiro, inclusive os novos ainda sem promessa. O chefe do Grupo (hoje diretor técnico) deve ter uma pauta a ser seguida, pauta esta feita após ouvir os Escotistas de cada seção antes do inicio, sobre quais assuntos devem ser levados a discussão para aprovação ou informação.
Compete ao conselho, além do que é determinado no POR e outras normas escoteiras feitas pela UEB, manter um bom relacionamento entre todos, dando voz e voto a cada um no destino do Grupo, especificar assuntos discutidos na Comissão Executiva, especificar outros temas de interesse do grupo. Ninguém tem a palavra final. A democracia é importante para que todos respeitem e sejam respeitados.
No Conselho de Chefes é onde se vai dirimir dúvidas, aprovar atividades nacionais, programar o registro do grupo junto a UEB, sabe como e onde terão cursos realizados e como inscrever, aprovação de gastos nas seções (claro que a parte financeira tem que ser aprovada pela Comissão Executiva).
Pela minha experiência, onde o Conselho de Chefes tem uma participação sadia na vida do grupo, dificilmente este tem problemas de discórdias e exonerações realizadas por insatisfeitos que se sentem prejudicados por um ou outro motivo. Ao mesmo tempo  fomenta a amizade e fraternidade entre os chefes do grupo. O chefe do Grupo é indicado pelo conselho de chefes para o Conselho de Grupo nas datas especificas de eleições.
O Chefe de Grupo deve ter as qualidades essenciais a um bom aconselhador, idade suficiente para ser o líder do grupo, respeitado por todos não só no grupo como na comunidade, e independente financeiramente. Interessado e participante, para não prejudicar o crescimento do grupo, pois sem a participação de todos isto se torna impossível.
Insistir para que cada seção se conduza sozinha, sem interferências e esclarecendo se verificar um erros ou desacertos sempre em particular, com o responsável da seção.

Sobre admissão de novos (noviços)

É de responsabilidade do Chefe do Grupo, ou de alguém indicado por ele. É necessário uma norma, visando valorizar a admissão, a Tropa e o Grupo Escoteiro.
Muitos grupos já possuem uma planificação e nossa sugestão é só para aqueles que ainda não a possuem.
Uma boa admissão, feita corretamente traz dividendos com a presença dos pais, e a valorização do jovem em sua admissão. Nunca é aceita no mesmo dia e nem o jovem é conduzido à patrulha, matilha sem antes cumprir etapas já formalizadas.
No primeiro dia, os pais devem estar presentes. Ambos. Se não podem, ver outra data onde poderão ser recebidos. O Chefe do Grupo explica as normas, o que se pretende dos pais, do jovem, o que o escotismo tem a oferecer, sua organização, as atividades ao ar livre, as viagens, as responsabilidade e finalmente os pais preenchem na hora a ficha de inscrição, com assinatura de ambos.
Eles se comprometem a participar das reuniões de pais feitas pelas seções, ficam sabendo de suas responsabilidades como conselheiros do grupo, da reunião anual ou extraordinária do Conselho do Grupo, da indicação de prováveis conselheiros regionais, dos acampamentos, das excursões, da colaboração que o grupo fará na formação do jovem junto a sociedade, a igreja e na educação extra-escolar.
No primeiro dia, é explicado aos pais que eles irão participar de um Informativo (espécie de curso, com certificado) e fornecido as datas e horários.
Cumprido todo o ritual então o jovem será apresentado ao chefe da seção correspondente logo após a cerimônia de abertura, e será conduzido a sua patrulha ou matilha sendo recebido por esta com cumprimentos, gritos de guerra ou de patrulha se for o caso. Os pais serão apresentados a todo o grupo, onde claro, se fará uso das palmas escoteiras ou outra utilizada pelo Grupo Escoteiro.
Feito assim, sem ressalvas os dividendos serão enormes. Valorização do Escotismo e participação direta dos pais.
 
Bem, fico por aqui. Haverá próxima vez. Vamos divagar sobre outros temas, cuja experiência passamos em um passado próximo. Se os amigos quiserem sugerir, fiquem a vontade.
Não pretendemos ensinar, e mostrar que estamos certos. Cada Grupo tem vida própria e tradições. Estamos apenas sugerindo para aqueles que acharem válidas nossas idéias.
O POR, Estatutos e Normas da UEB são a forma mais usual de gerir um Grupo Escoteiro.
Até outra vez

É mais fácil obter o que se deseja com um sorriso do que à ponta da espada.